Há algum tempo, o jogo de nome Baleia Azul vem assustando pais e tutores de adolescentes no Brasil. Isso porque o jogo incita jovens a atitudes que podem lhes custar a própria vida. Segundo as investigações que buscam informações sobre o jogo macabro, ele se iniciou na Rússia, com o suicídio de uma jovem de 15 anos.

Os desafios são divididos em 50 etapas, e os jovens são instruídos por um “mentor” virtual a realizarem diversas tarefas, cuja comprovação deve ser feita por fotografias.

Os desafios começam leves, quando os jovens são designados a assistir a um filme de terror, ou mesmo desenhar a #Baleia Azul, símbolo do jogo, em lugares públicos.

Publicidade
Publicidade

Mas conforme as missões vão sendo cumpridas, o grau de dificuldade aumenta, e pode chegar a indução do suicídio.

Dois casos de suicídio de adolescentes ocorridos em 2015 na Rússia foram sido associados ao jogo, mas a preocupação das autoridades teve início em 2016, quando cerca de 130 suicídios em diversos lugares foram relacionados a Baleia Azul.

No Brasil, a primeira morte com indícios da prática do jogo aconteceu no Mato Grosso, e teve como vítima uma jovem de 16 anos que se afogou numa lagoa. A menina possuía diversas marcas de cortes em seu braço, e a automutilação é um dos últimos desafios impostos pelos mentores do jogo.

Homem suspeito de ameaçar jovem para que permaneça no jogo é preso em Belém

O jornal Cidade Alerta noticiou a prisão de um homem que, segundo a polícia, está relacionado à curadoria do jogo.

Publicidade

O homem de 19 anos chama-se Jardson Cantanhede Amorim, e estaria ameaçando uma adolescente para continuar cumprindo os desafios.

As autoridades chegaram até o suspeito após uma mãe perceber indícios de que a filha estaria participando da tal competição mortal. Depois de notar cortes no braço da menina, e descobrir que ela estava sendo ameaçada, a mulher decidiu fazer uma queixa.

Prisão de homem envolvido no jogo representa um importante passo no combate a Baleia Azul

A prisão de Jardson representou um grande passo nas investigações que tentam banir completamente a prática do jogo no país. Embora ainda haja um longo caminho pela frente, as autoridades parecem estar no caminho certo.

Esse não é o primeiro jogo letal que vira moda no país. No ano passado, um jovem de apenas 13 anos se enforcou enquanto cumpria o desafio de outro jogo, conhecido como “chocking game”, em que os participantes devem interromper o fluxo de ar até provocar um desmaio, enquanto transmite isso para outros participantes.

Gustavo Detter, de apenas 13 anos, morreu por enforcamento enquanto cumpria o desafio. O menino, morador do litoral sul de São Paulo, se tornou um símbolo do combate a esse tipo de “brincadeira”. #Notícias #Jogos