De tempestades solares até um vírus zumbi: Hollywood já explorou diversas possibilidades de como o caos se instauraria em nosso planeta, causando a destruição total da raça humana. A verdade é que existem algumas ameaças reais - que não parecem assim tão distantes da nossa realidade - que poderiam por em risco a sobrevivência humana.

O portal Fatos Desconhecidos listou 6 desastres reais que podem acontecer em nosso #Mundo em um futuro próximo. Confira:

Pandemia mundial

Há alguns anos, um surto de Ebola preocupava médicos, cientistas e a população em geral.

Publicidade
Publicidade

Isso porque havia anos que esta doença não se manifestava e, de repente, passou a se espalhar por diversas regiões da África, com alguns casos pontuais em outros países. Bastante contagioso, o Ebola poderia ser transmitido rapidamente e alcançar todos os cantos do globo, bastando que, para isso, um paciente infectado tivesse alguma troca de fluidos corporais com pessoas saudáveis - e isso inclui até mesmo gotículas de saliva - ou pelo simples toque de um aperto de mão ou superfícies contaminadas como maçanetas e outros objetos de uso comum.

Outro exemplo bastante palpável de como os vírus podem ser um problema foram os casos da gripe Influenza A, mais conhecida como H1N1 (Suína), que espalharam-se rapidamente no mundo todo entre 2009 e 2011.

Impacto de asteroides

Talvez você duvide, já que a internet está cheia de notícias alarmistas a respeito de grandes asteroides que se chocariam com a Terra num futuro muito próximo.

Publicidade

Saiba que estas notícias podem não estar sendo tão alarmistas assim. Em 2013, os habitantes de Chelyabinsk (Rússia) foram surpreendidos por uma grande explosão nos céus, causada pelo maior meteoro visto nos últimos 100 anos, que entrou em alta velocidade em nossa atmosfera e que, por pouco, não desencadeou um desastre.

Até hoje, o maior desastre terrestre causado pela queda de um asteroide ainda é aquele que matou os dinossauros. Há 65 milhões de anos atrás, este asteroide atingiu onde hoje está a cidade de Yucatán, no México, formando uma cratera de cerca de 177 km de diâmetro e causando tempestades de vento e fogo, tsunamis e a extinção dos dinossauros. Talvez você pense que o raio - ou o meteoro - não possa cair duas vezes no mesmo lugar, mas alguns cientistas não estão certos disso.

Homem vs. Máquina

Por mais ficção científica que isso possa parecer, o risco de que a inteligência artificial que nós mesmos desenvolvemos se volte contra nós e nos destrua realmente existe.

Publicidade

Robôs e computadores podem vir a dominar o homem, porém não da forma como os filmes e livros contam.

Em algum momento do futuro, as máquinas poderão ser capazes de substituir o homem na maioria das tarefas, gerando desempregos e uma crise econômica e social sem precedentes.

Terceira Guerra Mundial

O mundo já viu duas grandes guerras ocorrerem, e se o ser humano já foi capaz de realizar dois eventos bélicos de proporções mundiais, seria bem capaz de realizar um terceiro. Só que desta vez, um conflito deste porte poderia causar a destruição total da Terra, já que muitos países possuem agora grande poder nuclear.

Pontuado de crises econômicas, sociais e climáticas, nosso mundo passa por um cenário de grande instabilidade, o que pode gerar conflitos armados de grandes proporções.

Erros em manipulação genética

Alguns cientistas apontam os erros em manipulações genéticas como riscos reais à raça humana. Desde a descoberta do DNA, em 1953 e, posteriormente, do sequenciamento do genoma humano, cientistas trabalham para descobrir como ''alterar'' certas partes deste DNA que determinam, por exemplo, a predisposição para o desenvolvimento de doenças como o Alzheimer e o câncer.

Porém, é preciso cautela para evitar que tais descobertas genéticas possam se tornar o começo da extinção da raça humana. Um erro no código genético de um indivíduo e todas as gerações subsequentes poderão ser afetadas.

Falta de fósforo

Existe uma teoria que diz que o nosso planeta é capaz de manter um número específico de habitantes. Caso este número seja ultrapassado, seria o fim da raça humana. No século XVIII, o economista Thomas Malthus divulgou um estudo no qual manifestava sua preocupação com a possibilidade de passarmos por uma grande crise alimentar, que faltaria alimento em razão do grande número de habitantes do planeta. No início do século XX, tal preocupação foi, em partes, descartada: o mundo não sucumbiu a fome, mas mesmo assim, houveram crises alimentares em algumas partes do globo.

Hoje em dia, é o fósforo que apresenta insuficiência em relação ao número de habitantes terrestres. Este elemento químico é o responsável por nos proporcionar energia, além de ser essencial para a formação do DNA humano, e pode se começar a se extinguir daqui a 30 ou 40 anos. #Ciência #Curiosidades