Não ter chefe e trabalhar por conta própria é o sonho de muitas pessoas. No entanto, isso pode não ser tão simples como parece. Trabalhar por conta própria não significa trabalhar menos. Você terá mais flexibilidade, mas precisa ter muita dedicação, se capacitar, se organizar e ter disciplina.

Antes de partir definitivamente para uma carreira freelancer, tenha em mente que você não terá estabilidade financeira. Por isso, é importante estar preparado para os períodos mais complicados.

A dica aqui é não largar tudo e virar #freelancer de cara. É preciso pensar na transição da vida de assalariado para a vida de autônomo.

Publicidade
Publicidade

Vá aos poucos, mantenha aquele #Trabalho formal e nas horas vagas busque atividades extras. Isso vai complementar a renda, servir como experiência. Aos poucos, você ganhará seu espaço no mercado e conquistará clientes. Apenas quando sentir que é possível sobreviver apenas como freelancer é que se pode abrir mão do emprego.

Autonomia financeira

É importante lembrar que o freelancer perde os benefícios da carteira assinada. Ou seja, ele não recebe fundo de garantia e a contribuição para aposentaria não será automática. Por isso, é preciso se programar e pensar no futuro. A sugestão é investir parte da renda, manter um plano de saúde e de aposentadoria. Vale continuar contribuindo por conta própria para o INSS como autônomo. Assim, o freelancer garante alguma segurança no caso de problemas que o impeçam de trabalhar.

Publicidade

Tenha uma reserva financeira antes de se lançar como freelancer. É normal que no começo surjam poucas oportunidades. Afinal, no começo, o profissional ainda não é tão conhecido no mercado e ainda não firmou uma carteira de clientes. É importante estar preparado para se manter por, pelo menos, três meses. Aos poucos a tendência é que as coisas melhorem.

Orçamento pessoal

O freelancer precisa repensar o seu orçamento pessoal. Como mencionado, há momentos de alta e de baixa no mercado. É preciso estar preparado para isso. Reservar parte da renda, nos momentos bons, pensando nos ruins.

Ou seja, ao realizar o orçamento mensal, o freelancer deve ter em mente que uma parte de sua renda deverá ser reservada para que consiga se manter quando a situação ficar mais complicada.

Saber quanto custa o seu tempo de trabalho

Um erro bastante comum para quem está começando a trabalhar como freelancer é não saber quanto o seu trabalho e o tempo dedicado a ele custam. Tenha em mente que é preciso colocar um preço no que você faz.

Publicidade

Para isso pesquise, veja o que os concorrentes oferecem e quanto eles cobram. Também é importante pensar em quanto os clientes podem ou estão dispostos a pagar. Não hesite em aumentar o seu preço, de forma justa, quando o mercado estiver em alta ou o prazo para entrega for curto.

A sugestão é ter um preço padrão com uma margem de desconto, caso o cliente deseje negociar. Calcular os custos como conta de telefone, internet, transporte. Ainda é possivel terceirizar certas atividades, como serviço de motoboy, por exemplo, se isso valer a pena.

Tenha um ambiente de trabalho

Mesmo que o freelancer pretenda trabalhar em casa, no estilo home work, ele deve ter um espaço, como escritório ou escrivaninha, específicos para isso. É preciso pensar que quando se está concentrado no trabalho é ruim ter um telefone ou uma campainha tocando. Isso certamente atrapalha o desenvolvimento das atividades.

Essa regra também vale para as relações pessoais. É ótimo poder trabalhar com o animal de estimação no colo, ou poder estar próximo dos filhos. Mas o profissional precisa deixar claro para as pessoas próximas e familiares que naquele momento ele está trabalhando.

Uma das vantagens de ser freelancer é a flexibilidade de horários. Mas ele deve estabelecer limites e metas. É necessário compreender que se deve cumprir uma parte das atividades antes de fazer uma pausa e evitar a procrastinação.

Não se pode deixar de lado a qualidade de vida. Às vezes ter o trabalho tão próximo da vida pessoal pode deixar as coisas um pouco confusas. É importante estabelecer limites de disponibilidade com os clientes. Quando não há limite se corre o risco de acabar se sentindo obrigado a responder mensagens de clientes no whatsapp em plena madrugada.

Sobre ser freelancer

Não é porque o freelancer é o próprio patrão, que não precisa mais se qualificar. A sugestão é continuar estudando, se capacitando e buscando as novidades no mercado. Desta forma, o profissional independente tende a oferecer, cada vez mais, um produto ou serviço de maior qualidade e, consequentemente, agregar valor ao seu trabalho. #Independencia