A #anorexia é um distúrbio alimentar sério que pode até levar à morte. A pessoa que sofre dessa perigosa condição passa a ter uma visão distorcida de seu próprio corpo, o que pode levar a uma obsessão com perda de peso e com a alimentação. Um caso que ilustra quão perigosa a anorexia pode ser é o da atriz estadunidense #Rachel Farrokh, que, no final do ano de 2014, chegou a pesar dezenove quilos.

Caminhar e muitas outras atividades que a maior parte das pessoas faz normalmente e sem dificuldade estavam fora do alcance dela, tais os estragos feitos a seu organismo pela anorexia. A essa altura, ela já tinha tido uma parada cardíaca, sofrido com insuficiência renal e com falência do fígado, tornando-se uma sombra da mulher que costumava ser.

Publicidade
Publicidade

Nesse estágio, a morte parecia ser a conclusão lógica - embora, claro, triste - do distúrbio com que ela já convivia há 10 anos e cujo estopim foi a perda de um emprego, evento que a traumatizara.

Para piorar a situação, nem Rachel nem seu marido, Ron Edmondson, tinham os recursos necessários para pagar por um tratamento de anorexia, algo em que poucos hospitais são especializados. Ron, quando a situação de Rachel piorou, deixou seu emprego para cuidar dela vinte e quatro horas por dia e a ajudou a gravar um vídeo mostrando o estado em que se encontrava, pedindo que doações fossem feitas para ajudar a pagar pelo tratamento dela. O vídeo foi divulgado na internet e a aparência chocante da atriz e sua condição de saúde atraíram muita atenção e estimularam a boa vontade de muitas pessoas, que ajudaram com doações.

Publicidade

No total, o casal arrecadou quase duzentos mil dólares (isso equivale, no câmbio atual, a quase seiscentos e trinta mil reais). O dinheiro recebido foi o bastante para custear o tratamento de Rachel em um hospital português especializado no tratamento de anorexia. Segundo Rachel, lá, diferente do que aconteceu em outras instituições de tratamento, ela recebeu o respeito que nem sabia que merecia. Sentir segura e tratada com carinho a ajudou a se recuperar. Outros tratamentos falharam porque os responsáveis por eles não entendiam que o cérebro tinha que ser atingido também pelo tratamento, não só o corpo.

Embora ela ainda não esteja cem por cento recuperada, o quadro de saúde de Rachel e sua aparência física melhoraram bastante. Ela tem usado sua história e experiência em uma tentativa de conscientizar as pessoas quanto aos perigos da anorexia, evitando que sofram com o problema que quase tirou sua vida cedo demais.

Vídeo:

Rachel Farrokh hoje

#comovente