Quem conhece o "pompoarismo" e sabe do que se trata também já deve ter ouvido falar em fisioterapia pélvica, ambos são parecidos, porém com finalidades diferenciadas. Conforme explica a fisioterapeuta e especialista em sexualidade, Cátia Damasceno, as duas práticas são usadas para fortalecimento da vagina. "São duas coisas diferentes, mas que dividem algumas práticas específicas e resultados", diz a médica.

A fisioterapeuta dá algumas dicas de como entender a fisioterapia pélvica e o pompoarismo e destaca alguns fatores que as diferenciam.

As diferenças

Segundo a profissional, são poucas as diferenças, visto que a a fisioterapia pélvica volta-se mais para a saúde geral da região pélvica ou períneo.

Publicidade
Publicidade

Já o pompoarismo é voltado para a vida sexual. A técnica tem origem no tantrismo e consiste na contração voluntária dos músculos pélvicos com a finalidade de expandir o prazer a dois. Portanto, juntos eles trazem benefícios físicos e sexuais à mulher. Ela ressalta que o pompoarismo, diferente da fisioterapia, utiliza acessórios como, bolas Ben-Wa, cones e até vibradores.

Postura x Prazer

Que os dois trabalham juntos para trazer benefícios à mulher, disso ninguém tem mais dúvida, porém, a fisioterapia age como prevenção e correção postural de músculos vaginais e da cavidade pélvica, para que tenham um bom desempenho no ato sexual. Quanto ao pompoarismo, é apenas uma técnica usada para dar mais prazer no contato íntimo, pois permite a pressão do membro masculino durante a relação.

De acordo com a especialista, ambos vão dar uma boa melhorada em casos de incontinência urinária e disfunção sexual.

Publicidade

Assoalho pélvico, a chave de tudo

As duas práticas conseguem exercitar o "assoalho pélvico", uma rede de músculos de sustentação entre o osso púbis e o cóccix na região da bacia. Com o pompoarismo, que controla os músculos do assoalho pélvico e do canal vaginal, o exercício se torna mais completo, diz a especialista.. A médica recomenda que é fundamental cuidar do assoalho pélvico. Segundo ela, a estrutura da bacia sofre muitos traumas no período do gravidez, na hora do parto e até por causa de outras cirurgias. o fortalecimento dessa área ajuda na recuperação.

Outro ponto delicado que pode afetar bastante a autoestima da mulher, além de causar desconforto, é a menopausa e o envelhecimento, que deixam a musculatura enfraquecida. Nesse caso, as duas práticas servirão para elevar o humor feminino e ajudam a melhorar na hora do sexo. #mulheres #SaudeFeminina