As relações sexuais fazem parte da vida de todos nós, de uma forma ou de outra, e alguns cuidados são essenciais para mantermos a #Saúde em dia, até daqueles que não são muito ativos sexualmente.

Um tema que desde que nascemos faz parte da nossa vida. Isso porque para chegarmos à vida, alguém teve que ter um ato íntimo. Não é à toa que cientistas de todo o planeta parecem verdadeiramente fissurados nesse assunto. Eles parecem até viciados em tentarem desvendar novos mistérios que se relacionem à vida a dois.

Isso sempre acaba ajudando muito as pessoas. Segundo a médica ginecologista Fabiana Kac, que trabalha em um importante hospital do Rio de Janeiro, graças à ciência, hoje é possível dar dicas preciosas no consultório.

Publicidade
Publicidade

Fabiana explica que, muitas vezes, até as pessoas mais experientes no momento íntimo acabam protagonizando erros de principiantes na hora da transa. A fim de ajudar todas as pessoas, Kac elaborou uma espécie de lista que fala de seis atitudes ou situações que jamais devem ser feitas após o ato sexual. Essa lista pode ajudar muita gente, que acaba tendo consequências ruim à saúde pela simples falta de informação.

Nunca mais faça essas seis coisas após o ato sexual, ou terá problemas de saúde

1 - Prendendo o xixi: a velha preguiça de ir no banheiro - Essa situação acontece mais frequentemente do que muitos imaginam, e é péssima, especialmente para as mulheres. As uretras delas são bem menores do que a dos homens e isso facilita a chegada das temidas bactérias até o sistema reprodutor e urinário, facilitando também, é claro, diversas DSTs, as chamadas Doenças Sexualmente Transmissíveis.

Publicidade

O xixi é uma espécie de sistema autolimpante da uretra. Ele contém substâncias que são capazes de matar ou eliminar a maioria das bactérias. Por isso, nada de deixar de ir ao banheiro.

2- Dormindo sem trocar de roupa: o uso da lingerie molhada - Nunca use qualquer peça de roupa molhada, mesmo até que você esteja sem um parceiro sexual no momento. Isso porque esse hábito ajuda na transmissão da candidíase, uma doença incômoda, que pode passar muita coceira. Algumas pesquisas falam que pelo menos 3 em cada 5 mulheres já teve ou terá candidíase. O cuidado deve ser redobrado quando se tem um parceiro ao lado, a fim de evitar passar qualquer doença para ele.

3 - Dividir uma banheira com o companheiro - Você acabará dividindo também a sujeira que tem ali. Além disso, a água quente ajuda na transmissão de doenças por abrir os poros da pele.

4 - Fazer ducha - Isso atrapalha tanto a defesa vaginal, como a anal. Por isso, não deve ser feito.

5 - Usar papel higiênico - O papel é um ótimo transmissor de bactérias e fungos. Se possível, lave-se sempre com água corrente.

6 - Usar sabonete comum para fazer limpeza íntima - O pH vaginal é diferente dos sabonetes comuns. Não tendo um sabonete para a região íntima, especialistas indicam que a mulher use apenas água corrente. #higiene #Curiosidades