Kathy Lette causou polêmica quando revelou que pensou em levar o filho a um bordel, com o intuito de lhe mostrar os prazeres do sexo. Em uma história revelada pelo jornal Daily Mail, Lette quis mostrar para outros pais de filhos autistas como, por vezes, as coisas mais simples acabam sendo bem complicadas. É uma mensagem de força para todos os pais que sabem que seus #Filhos podem ser iguais aos outros, mas que a dificuldade está em se rodear de similaridades. Foi o que aconteceu com Julius, que agora tem 26 anos, e parece ter uma vida bem normal, como qualquer homem de sua idade.

Para Lette, Julius só é diferente dos outros, mas para melhor.

Publicidade
Publicidade

Ela descreve seu filho como um jovem "bonito, inteligente e gentil", mas, aos 20 anos, essas não seriam as características que mais interessavam às meninas, que não se aproximavam dele. "Porque será que eu não tenho uma namorada, #mãe?", perguntou Julius a Lette.

Ela ainda tentou ajudar o filho, inscrevendo-o em sites de encontros, mas sem sucesso. Por isso, ela falou com outros pais e eles concordaram que o melhor seria levar o filho para um encontro com uma garota de programa. Lette ainda foi procurar a especialista, mas desistiu no meio da viajem.

A mãe contou ainda sobre os vários desafios de sua experiência. No início, Julius era um bebê normal e até os 13 meses tudo foi perfeito na vida dessa família. O #Autismo apenas se revelou depois disso. Até os quatro anos e meio, ele não voltou a falar e foi com muito custo que ele retomou a oralidade.

Publicidade

Apesar disso e de sua doença se manifestar em várias atividades, Lette fica embevecida quando fala sobre a inteligência do seu filho e de sua memória fotográfica, que sabe como ninguém a temperatura certa para que os cachalotes acasalem e que os cavalos-marinhos são a única espécie cujos machos dão à luz.

Vítima de bullying

Quando criança, ele foi vítima de bullying na escola e os outros meninos o chamavam de 'retardado'. Mas, se os primeiros anos não foram fáceis, tudo piorou mais ainda quando chegou a puberdade.

Mais tarde, ela pensou novamente sobre a garota de programa, mas soube de um pai que fez isso e que foi condenado a prisão suspensa quando descoberto pela polícia. "Ser mãe de uma criança com autismo tende a turvar a nossa visão ", disse Lette.

Ela desistiu e, mais tarde, nas vésperas de seu 21º aniversário, Julius conheceu uma jovem rapariga que viu nele o homem inteligente e especial que a mãe tão bem conhecia. Eles se apaixonaram e a natureza seguiu o seu curso. "Outras mães ficam na lua quando seus filhos entram em Harvard ou escalam o Monte Everest. Mas, eu nunca fui mais feliz do que no dia em que meu filho recebeu sua primeira namorada", contou esta mãe.

No entanto, esta história está gerando alguma polêmica porque as pessoas não concordam que ela tenha pensado em apresentar uma garota d programa para um garoto tão especial por causa do autismo. São muitos que a criticam sua postura; já outros entendem e aplaudem a sua coragem.