Isso pode até ser confundido com loucura ou algum tipo de fetiche. Porém, secar a parte íntima após a relação é considerado algo muito importante para a higiene íntima das #mulheres. Especialistas afirmam que isso previne principalmente micose e outros fungos na região vaginal. Para isso, o secador deve ser usado em temperatura baixa.

A ginecologista americana Alyssa Dweck, que escreveu o livro “The Complete A to Z for Your V.” (“A a Z Completo Para a Sua V.”) foi a primeira a tocar no assunto e tem total apoio da terapeuta sexual alemã Beatrice Wagner. É fato que no momento do ato sexual, se está em contato direto com os fluidos corporais dos parceiros.

Publicidade
Publicidade

Durante a relação, milhões de microrganismos patogênicos são passados de corpo para corpo, entre eles fungos e bactérias. A vagina é um ambiente perfeito para esses microrganismos se reproduzirem. Mas nem toda relação sexual com o parceiro irá causar uma infecção vaginal.

Beatrice diz: “Normalmente, o nosso sistema imunológico estará pronto para poder combater. Porém, mulheres com tendência a contrair de infecções na região deveriam tentar o uso do secador, mesmo isso parecendo coisa de maluco.”

A micose vaginal é muito mais comum que se imagina: cerca de 75% das mulheres terão uma infecção desse tipo pelo menos uma vez na vida. Os sintomas são principalmente irritação, coceira e queimação na área. Também ocorre a produção de um corrimento branco e amarelado.

Entre as principais causas da micose vaginal, destacam-se as flutuações hormonais (muito comum durante a gravidez), sistemas imunológicos enfraquecidos ou até mesmo por contas de pílulas de anticoncepcionais.

Publicidade

Roupas apertadas, calcinhas sintéticas e a limpeza em excesso das partes íntimas podem contribuir e muito para uma possível infecção vaginal.

Para não ter dúvidas sobre o assunto, é sempre importante consultar um médico ginecologista. Ele pode explicar melhor as prevenções e tratamentos para tais doenças vaginais. Mas, também existem remédios para fungos que não têm efeitos colaterais.

O ato de secar a vagina com o secador de cabelos não precisa se tornar hábito diário, ao menos que você tenha a tendência de contrair doenças vaginais. Vale lembrar que, mesmo não sendo tendência, esse método já foi utilizado há muito tempo por mulheres em outros países, e com o passar dos anos, foi se espalhando até chegar ao Brasil. Alguns médicos começaram a recomendar esse método para mulheres com tendência a doença relacionadas à vagina. #Cuidadosfemininos #SaudeFeminina