Publicidade
Publicidade

Muitas das grandes invenções do mundo começaram com 'experimentos errados', desde o micro-ondas até a PlayDough. Agora, há mais uma invenção para se juntar às fileiras das grandes novidades. Os cientistas desenvolveram o "Induzidor de Pressão Vaginal [VIDEO]" com o intuito de prevenir o desconforto na esperança de entender a relação entre prazer sexual e dor genital, além de verificar se as mulheres podem desenvolver uma tolerância à pressão vaginal e à dor. No entanto, o dispositivo realmente acabou sendo bastante prazerosos e as mulheres o descreveram como "estimulante", apesar do formato não ser atrativo.

Como explicado em seu estudo publicado no Journal of Sex and Marital Therapy, o dispositivo consiste em um balão que é inserido na vagina e, gradualmente, preenchido com a temperatura da água, induzindo pressão sobre a parede vaginal.

Publicidade

Durante a pesquisa, psicólogos clínicos da Universidade de Maastricht, na Holanda, testaram o dispositivo em 42 mulheres saudáveis com idade média de 24 anos. Elas foram convidadas a inserir o dispositivo enquanto os cientistas controlavam remotamente o quanto o balão inflava [VIDEO]. Quando a pressão começava a ser desagradável, as mulheres pressionavam um botão, que fazia com o balão se esvaziasse. Durante uma série de testes, a mulher também assistiu a filmes pornográficos, além de vários filmes neutros e considerados normais.

As mulheres relataram níveis significativamente maiores de excitação sexual ao assistir aos filmes sexuais com a pressão adicional do aparelho.

Publicidade

"A descoberta indica a importância dos estímulos sexuais para o aumento do prazer na pressão vaginal. Estímulos sexuais explícitos fortificaram a prazer da pressão vaginal em paralelo com o aumento da excitação sexual subjetiva”, disse o estudo.

A pesquisa que levou ao brinquedo sexual – que, como foi criado para um estudo, não tem objetivo de ser comercializado – foi feita por especialistas da Maastricht University, na Holanda.

Vale lembrar que 30% muitas mulheres experimentam dor durante ou após o sexo, em comparação com apenas 7% dos homens. Clinicamente referido como dispareunia, esta condição pode ser causada por uma multiplicidade de fatores, tanto físicos como psicológicos [VIDEO]. A condição também é compreensivelmente associada à emoção das pessoas e ao bem-estar psicológico devido ao efeito que pode ter em sua vida pessoal. Assim, enquanto este estudo pode ter tido alguns resultados improváveis, é importante que a ciência ajude a desenvolver uma compreensão mais profunda da dor durante o sexo. #Relacionamentos #relação sexual #Saúde