Publicidade
Publicidade

Apesar de muitos duvidarem de sua existência (“o #Acre não existe”), deixando a brincadeira das redes sociais de lado, o Acre é um dos 27 estados brasileiros e tem uma história muito rica que vale a pena conhecer. O estado está atualmente na mídia devido ao caso do retorno do [VIDEO] jovem chamado Bruno Borges, que ficou cinco meses desaparecido e que teria deixado mais de dez livros criptografados.

Não há ainda nenhuma informação sobre o que ele fez durante esse tempo, mas muitos já suspeitam que tudo não passa de um golpe de marketing para divulgação dos livros – o primeiro já foi lançado. [VIDEO]

Menor densidade populacional, xampu milagroso e abacaxi de 15 kg

O Acre tem a menor densidade demográfica registrada no Brasil.

Publicidade

Isso ocorre porque, além de afastado dos grandes centros, o estado foi incorporado ao Brasil recentemente, em 1904 Até então, fazia parte da Bolívia. Com relação, ainda a baixa densidade demográfica, no Acre, além da capital, apenas quatro municípios tem população superior a 30 mil habitantes.

Na cidade de Tarauacá, existe uma combinação de ervas da região que é capaz de combater a calvície, mesmo em quem já perdeu os cabelos. A fórmula do “xampu esperança" ainda é um mistério. Além disso, uma atração turística são os impressionantes abacaxis gigantes de 15 kg.

Em 1877 foi quando os migrantes, vindos principalmente do estado do Ceará, chegaram na região com o objetivo de explorar a borracha da Floresta Amazônica. A população da região era de apenas 50 mil pessoas no final do século 19.

Em 1904, o Acre foi elevado a território federal, mas só virou estado em 1962, tendo sido nomeado pelo então presidente João Goulart.

Publicidade

Não é errado dizer que o desenvolvimento do Acre é fruto da borracha, mas o que muitos não sabem é que a produção de borracha declinou desde 1913. Porém, mesmo assim, permanece sendo um dos estados brasileiros que mais produzem e exportam a hévea-latex coagulado, a borracha.

A altitude média do estado é de 200 metros e os rios mais importantes são Juruá e Tarauacá. O última povoado brasileiro a ver o sol nascer fica na Serra da Moa, também conhecida como Serra da Contamana, que já faz fronteira com o Peru. Para quem não sabe, existe diferença de fusos horários, sendo 2 horas a mais que Brasília.

Carne-de-sol com pirarucu, prato típico da região, é o fruto da mistura da cultura indígena com a nordestina, e é no mínimo curioso. O prato também é acompanhado de um molho de mandioca chamado tucupi.

Um dos meios de transporte mais utilizados é o transporte fluvial, que, ao lado da BR-364. Esses meios são os responsáveis pelo escoamento das produções provenientes da agricultura, pecuária, pesca, mineração comércio e indústria.

Publicidade

Principais cidades além da capital

Cruzeiro do Sul também conhecido como Cruzeiro, “Capital do Vale do Juruá” e “Terra dos Náuas”, está localizado a mais de 600 km da capital, Rio Branco. É um dos principais pontos turísticos porque possui vários monumentos históricos sobre a badalada história do ‘’famoso’’ estado brasileiro. Antes da chegado do homem branco, a tribo que dominava a região era a tribo dos náuas, por isso o nome Terra dos Náuas. Os principais pontos turísticos são: Catedral de Nossa Senhora da Glória, Fórum Civil Caio Valadares, Estação do Porto, Igarapé Preto e Instituto Santa Teresinha e Biblioteca Estadual do Padre Trindade.

Feijó é o menos populoso dos quatro, mas é um dos maiores municípios brasileiros em território, sendo mais conhecido como “Terra do Açaí”. Suas terras eram habitadas pelo índios das tribos chacawás, kaxinauás e jaminawás. Ocorreram vários conflitos dos migrantes nordestinos, que buscavam os seringais, com os habitantes originais. O seringal veio a se tornar, com o tempo, um vilarejo que, no ano de 1906 foi elevado a categoria de vila e seu nome é homenagem ao padre Diogo Antônio Feijó. Quem nasce na cidade é considerado feijoense.

Sena Madeireira, ou princesinha do Acre, é o terceiro mais populoso e segundo em território, sendo fundado em 1904, recebendo muitos migrantes nordestinos. A cidade, que faz fronteira com o Peru, se fortaleceu muito graças ao ciclo da borracha, que movimentava a economia da região.

Tarauacá é o terceiro município em território dentro do estado. Sua origem era Seringal Foz do Muru, foi fundado em 1907 e seu nome de vila era Seabra, elevando-se a município em 1912. É conhecido como “Terra do Abacaxi Gigante” e faz fronteira com Feijó. #twitter #marketing