Publicidade
Publicidade

No longínquo ano de 1973 estreava nos cinemas de todo o mundo o #Filme "O Exorcista", que era uma adaptação cinematográfica do famoso "best-seller" de William Peter Blatty, que por sua vez foi baseado em um relato totalmente verídico sobre um exorcismo. O sucesso da película não tardou e no ano seguinte o filme já era galardoado com quatro Globos de Ouro (melhor filme, melhor realizador, melhor argumento, melhor atriz coadjuvante para Linda Blair). Recebeu ainda 10 indicações para o Oscar ganhando duas estatuetas, nas categorias de melhor som e melhor roteiro adaptado. O filme se impôs como o maior clássico do gênero do fantástico e na altura, foi considerado o filme mais aterrorizante de sempre.

Publicidade

Para concluírem o longa, os produtores precisaram de inacreditáveis 200 dias de filmagens. Algo bem incomum para a época. Em seu roteiro continha a história de uma atriz que vai gradativamente tomando a consciência de que a sua filha de doze anos está tendo um comportamento terrivelmente assustador. Desta maneira, a mãe pede desesperadamente ajuda a um padre, que também atua na área da psiquiatria. Após avaliar a garota, o padre chega a conclusão de que a mesma está possuída por Satanás. Mediante essa avaliação, o padre solicita a ajuda de um segundo sacerdote, especialista em exorcismo, para tentar livrar a garota desta terrível possessão.

Essa garota era Regan MacNeil que foi brilhantemente interpretada pela atriz mirim Linda Blair. Linda protagonizou cenas terríveis em que vomitava uma gosma verde e enfiava um crucifixo em suas partes íntimas, além da clássica cena em que virava por completo sua cabeça para traz.

Publicidade

A atriz já tinha uma boa carreira apesar da pouca idade, tendo participado de filmes, séries e comerciais de televisão. Após seu enorme sucesso no filme "O Exorcista" muitos acharam que a garota teria uma carreira bastante promissora dentro de Hollywood, mas não foi o que aconteceu.

Carreira decadente após o filme

O filme não agradou em nada alguns fanáticos religiosos e a garota passou a receber inúmeras ameaças de morte e para que a sua vida não corresse perigo, Linda Blair era vigiada dia e noite por seguranças e policiais que não saiam da porta de sua casa.

Além desses episódios lamentáveis que tiraram a sua privacidade, a garota perdeu inúmeros papéis no #Cinema, pois sua imagem ficou muito ligada à personagem do filme de terror. Devido a esse fato, Linda não foi aceita em papeis mais “delicados”, como o de Emmeline em "A lagoa azul“, que ficou com a bela Brooke Shields. Em entrevistas, Linda chegou a declarar que nunca quis ser o monstro que se tornou, mas que almejava ser uma princesa Dinsey ou participar de filmes doces como Lassie e Flipper.

Publicidade

Devido a depressão por ver a sua carreira ir por água abaixo e por ser vista como um demônio por algumas pessoas Linda Blair teve uma juventude problemática se envolvendo com drogas, e mais tarde chegou a responder processo por tráfico. Após a maioridade, sem dinheiro e nem contratos por bons filmes, a atriz começou a explorar sua nudez em uma revista que apresentava o nu grotesco de mulheres que , em sua grande maioria, eram prostitutas. Nesse embalo, Linda fez ainda alguns filmes B de baixo orçamento em que também aparecia totalmente nua.

A recuperação de Linda Blair

A partir da década de 1990, ela mudou completamente de vida, largou os vícios e se dedicou à causa dos animais criando a sua própria fundação, a “The Linda Blair World Heart Foundation”. Atualmente, ela faz pequenas pontas em algumas obras. Veja abaixo como está hoje essa celebridade. Ela não lembra em nada a menina possuída de ‘’O Exorcista’’!

#Celebridades