Não há testes que definam, dentro da psicologia, se um homem tem potencial para a violência, mas os psicólogos afirmam que é possível notar isso em alguns gestos e também no histórico familiar do homem.

Há muito já se ouve dizer que a maneira como um homem trata sua mãe é um grande indicador de como ele tratará sua mulher, no futuro. Isso é uma verdade.

Homens que têm histórico de violência familiar, uso excessivo de álcool e drogas, possuem uma maior probabilidade a se tornarem violentos.

Os primeiro sinais

Quase nunca os sinais são mostrados no início do relacionamento. O homem violento se mostra um príncipe de conto de fadas nos primeiros instantes da conquista e do namoro.

Publicidade
Publicidade

Será comum pensar: “encontrei o homem dos meus sonhos”. Isso não significa que todo o relacionamento que começa dessa forma terminará em violência. Relacionamentos saudáveis também começam dessa maneira, portanto, num primeiro momento é bem difícil notar as tendências à violência. Entretanto, no relacionamento tóxico, em algum tempo começa-se a mostrar sinais de mudança de humor repentina, raiva extrema diante de um comportamento pequeno. As palavras também começam a ficar mais agressivas.

Ciúmes e possessividade

Se ele começar a reagir de forma inesperada toda vez que a encontra na companhia de outra pessoa (independente de ser homem ou mulher), não gosta que se encontre com seus amigos e até mesmo familiares, começa a acusar de traí-lo e você tem que ficar provando o tempo todo que não está traindo para que ele se acalme, enfim, ele não permite dividi-la com ninguém e, muitas vezes, pode humilhar você na presença de um amigo ou familiar [VIDEO], destacando suas falhas.

Publicidade

Esses sinais devem ser bem observados e levados em conta, porque o caminho fatalmente será o da violência.

Abuso verbal

De um modo geral, a violência no relacionamento sempre começa com o abuso verbal. Nem sempre as palavras são sujas, mas são ofensivas e humilhantes. Um homem violento geralmente não gosta de uma discussão de mão dupla. Ele mandará que você fique calada porque ele a considera inferior a ele e, portanto, deve aceitar a vontade dele sem falar nada. De um modo geral, depois de algum tempo as mulheres não aguentam a violência verbal e enfrentam, o que pode ser o gatilho para o próximo passo, que é o da violência física.

Procure ajuda se precisar

“Muitas mulheres, infelizmente, possuem uma certa capacidade de tolerar atos violentos e de achar que as coisas vão mudar”, é o que afirma a psicológica Mayra Luciana Gagliani. Mayra, que é diretora do Departamento de Psicologia da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (SOCESP), também afirma que quem está num relacionamento desse teor tende ao autossacrifício e esquece suas próprias necessidades, sempre procurando atender às necessidades do outro.

Publicidade

Depois dos ataques de fúria, sejam verbais ou físicos, o homem sempre pede desculpas e jura que vai mudar (isso é um padrão), mas as mudanças não ocorrem. Portanto, se você está em um relacionamento do tipo, procure ajuda para sair o mais rápido possível dessa situação, porque a intensidade da violência é crescente.

A ajuda pode vir de familiares, delegacia da mulher, amigos e terapeutas. Aceite tal ajuda. Não fique em um relacionamento desse teor e nem queira pagar para ver as mudanças que você acredita que vão ocorrer. Esperar tal mudança pode ser, em algum momento, tarde demais.

O número 180, da Central de Atendimento à Mulher, é o canal criado para receber denúncias e a orientar mulheres vítimas de violência. #Violência contra a mulher #ciumes #Violência doméstica