Publicidade
Publicidade

Você já viu aqui neste portal de notícia diversos fatos curiosos que ganham bastante repercussão, principalmente nas mídias sociais. Desta vez você vai conhecer a história real de #Victoria Wright, portadora de uma deficiência chamada de ‘querubismo’, que resulta em excesso de tecido fibroso no rosto do portador.

Os primeiros sinais da doença surgiram quando Victoria ainda tinha pouco mais de quatro anos de idade. “Eu estava escovando meus dentes com auxílio da minha mãe, de repente ela notou que eles não estavam em seus devidos lugares.”. A mãe de Victoria acreditava que o problema chegaria ao fim assim que ela atingisse a puberdade, porém não foi o que aconteceu.

Publicidade

A mandíbula de Victoria começou a expandir, foi quando começou a afetar seus olhos.

Victoria teve que passar pelos médicos, que realizaram uma cirurgia para avaliar a pressão que estava em seus olhos. Essa cirurgia foi responsável por salvar a visão de Victoria. Porém ela conta que até hoje sente algumas dores na cabeça e que sua visão ainda é prejudicada.

“Por várias vezes eu posso sentir pontadas, que causam dores. Eu percebo que minha cabeça realmente está pesada. EU ouvir de um médico que a minha cabeça tem mais peso que uma bola de boliche”, desabafou Victoria [VIDEO].

“Os médicos me garantiram que era possível realizar uma operação em minha mandíbula, para que ela se tornasse menor, porém eu não acredito que ficarei melhor fisicamente, confesso que hoje já estou acostumada com a minha aparência”, concluiu.

Publicidade

Victoria confessou também que só não conseguiu se acostumar com os olhares das pessoas, quando ela transita pelas ruas, porém ela aceita que todos os olhares para ela, faz parte de uma reação humana natural. “EU tento na maioria das vezes não levar para o lado pessoal, sei que elas vão sempre olhar. Até eu mesma me olho todos os dias. Eu quando ainda adolescente, ficava com receio, porém eu vi que isso não estava me ajudando em nada. Se eu vejo alguém me olhando pelo simples fato de curiosidade, eu sempre abro um sorriso e aceno com a cabeça, para que todos vejam que sou um ser humano e que elas não precisam ter medo. Quando faço isso, recebo um sorriso de volta, isso me faz sentir-se bem”, falou ela.

E você, diante das imagens de Victoria, qual a sua opinião sobre o modo de vida que ela conduz diariamente? Você tem alguma opinião, sugestão ou algo que possa ainda mais ajudá-la no dia a dia? Deixe seu comentário logo abaixo.

#Deficiência #querubismo