Publicidade
Publicidade

Quando um casal está no clima, tudo parece que se encaixa. O momento a dois torna-se algo maravilhoso e, às vezes, é inesquecível. Assim seria o momento para Theresa Bartram, uma #Mulher que, depois de sofrer incontinência urinária por 7 anos, finalmente poderia ter intimidades.

Theresa, quando teve seu primeiro filho, sofreu o que muitas mães sofrem, incontinência urinária

Incontinência urinária é a perda do controle da bexiga. Dependendo da gravidade, a pessoa não consegue segurar a urina. Até mesmo quando tem que fazer esforços como tossir ou espirrar. Em alguns casos, a vontade de urinar é tão súbita e forte que a pessoa não consegue nem chegar a um banheiro.

Publicidade

Manter um relacionamento era complicado, principalmente quando era a hora de ter momentos a dois. Por isso, Theresa optou por não se envolver com ninguém, até que seu problema fosse solucionado, e ela pudesse, por fim, ter uma vida sexual normal.

Sua espera durou 7 longos anos

Depois de passar por alguns médicos, Theresa encontrou um que propôs uma solução, pôr uma fita transvaginal.

Esse tratamento, consiste na introdução de uma fita de polipropileno (ou de tecido do próprio corpo da paciente) abaixo da uretra, por via vaginal, com o objetivo de aumentar a resistência uretral e reduzir a perda de urina. Com isso, Theresa podia finalmente voltar a atividade sexual sem constrangimentos.

Mas, ela não sabia que aquilo, na verdade, seria o começo de um pesadelo.

Theresa relata que depois que foi feito o tratamento e a colocação da fita, ela teve relações íntimas normalmente, durante cerca de dois anos.

Publicidade

Mas, em um certo dia, quando estava namorando, um pedaço do plástico acabou cortando o membro do parceiro, e eles entraram em pânico. Ela conta que havia sangue para todo lado, e que ficou apavorada sem saber o que estava acontecendo.

Sem saber o que havia ocorrido, Theresa de imediato não foi ao médico, mas seu parceiro acabou ficando assustado e foi se afastando dela. Depois de 6 meses, eles terminaram.

Foi então que Theresa resolveu procurar um médico, e relatou tudo que tinha acontecido, e que, inclusive, sentia que dentro dela tinha uma espécie de serra, a cortando.

Depois de algum tempo, passando por cerca de quase 30 médicos, sem que nenhum reconhecesse o problema, foi que sentiu que nas partes íntimas estava saindo um líquido que fedia muito, e finalmente descobriu que a fita estava a corroendo por dentro. #panico #Terror