Publicidade
Publicidade

Uma reportagem chocante do site norte-americano Buzzfeed acaba de trazer à tona uma estranha mania que parece estar acometendo alguns homens heterossexuais. Para estes, o hábito #Bizarro - para não dizer nojento - de não limpar o ânus após evacuar ou de sequer lavar essa região durante o banho parece fazer todo o sentido e estaria, inclusive, atuando na preservação de sua masculinidade.

É isso mesmo que você caba de ler: a matéria do Buzzfeed USA conta com diversos depoimentos de mulheres que notaram que seus parceiros estavam deixando toalhas, lençóis e roupas de baixo com estranhas manchas e foram investigar a razão disso.

Publicidade

No Twitter, o usuário relata três casos envolvendo esse estranho hábito masculino [VIDEO]:

Os depoimentos trazem casos de homens que não somente não higienizam sua região anal, como também pensam que existe um ''jeito masculino'' de utilizar a privada. Confira alguns dos depoimentos de mulheres que notaram que seus parceiros não estavam fazendo sua #higiene anal:

''Meu marido está me broxando. Somos casados há 2 meses. O pé dele fede, o cheiro dos sapatos deles empesteia o quarto. Ele também tem o hábito de vestir cuecas brancas e, um dia, quando eu lavava as cuecas dele, notei que todas tinham umas manchas marrons. Nojento. Uma vez estávamos tendo relações sexuais, eu por cima dele, e quando nos levantamos, havia uma mancha marrom bem no lugar da cama onde antes estava a bunda dele. Depois disso, resolvi mencionar a ele os lencinhos umedecidos que eu havia comprado e ele ficou simplesmente furioso com isso. Disse que 'homens de verdade' não mexem no ânus e que não abrem as nádegas por nada no mundo. Homens não abrem as nádegas para se limpar. O que está acontecendo?''

O segundo depoimento é ainda mais chocante, já que o parceiro desta moça se recusa a higienizar a região até mesmo quando está tomando banho:

''Descobri que meu namorado não limpa o bumbum. Tentei ensiná-lo como fazer, mas ele me diz que lavar as nádegas e deixar a água e o sabão escorrerem perto do ânus é o suficiente, mas desde criança eu aprendi com a minha mãe a limpar entre as nádegas. É nojento imaginar que meu namorado passa o dia inteiro com cocô nas calças. Devo terminar com ele?''

Além dos depoimentos presentes no post de Keith Calder, o Buzzfeed USA lista mais um, extremamente nojento:

''Eu e meu namorado aparentemente temos hábitos de higiene completamente diferentes. Às vezes, andamos sem roupas em casa e ontem ele estava enrolado em um cobertor quando disse ter soltado gases e foi correndo ao banheiro. Percebi manchas no lugar onde estava o bumbum dele, ou seja, havia fezes ali. Achei engraçado, porém nojento, e pedi que ele não utilizasse mais o cobertor e colocasse o mesmo para lavar. Ele discordou e continuou a usar o cobertor. Depois da discussão, ele simplesmente foi cozinhar enrolado no tal cobertor. Claro que não comi nada do que ele preparou, e ele acha que estou sendo injusta.''

Para finalizar, o depoimento de um homem que declara ter utilizado a privada de maneira errada durante toda a sua vida, pensando que havia uma maneira masculina de fazer uso do vaso:

''Espero que muitas pessoas me apoiem ao ler esse depoimento, pois estou com a sensação de que sou o único a ter passado por isso. Nossa privada quebrou e eu sai para comprar uma nova. O vendedor ficou brincando sobre eu comprar uma privada que abaixasse automaticamente o assento depois que eu terminasse. Foi então que respondi a brincadeira dizendo que, se eu não fosse casado, poderia economizar comprando uma privada sem assento, para nunca mais precisar levantá-lo e abaixá-lo. O vendedor me olhou estranho e disse: 'Mas como você faz quando precisa fazer cocô?' Naturalmente, respondi que eu era um cara, e que por essa razão não precisava abaixar o assento para fazer cocô, pois me sentava diretamente na porcelana da privada. Depois percebi que eu havia feito isso errado a vida inteira, e que na verdade, meu pensamento anterior não fazia nenhum sentido, já que banheiros de homens em todos os lugares têm assentos, mas sempre pensei que era uma questão de padronização das privadas para economia dos fabricantes.''

Será que isso ocorre comente com os homens norte-americanos? Ou será que essa ''mania'' já chegou ao Brasil também?

Deixe seu comentário. #habitos