Publicidade
Publicidade

Nesse fim de semana, alguns sites voltaram a repercutir um crime bárbaro que aconteceu ainda em 2014, mas que deixou muita gente indignada [VIDEO]. O objetivo deles foi relembrar a história do professor de jiu-jitsu Daryell Dickson, que teria espancado o próprio enteado até a morte. Na época, a criança que não teve o nome revelado tinha menos de dois anos de idade. Daryell se encontra preso em uma cadeia de Brasília, onde o crime ocorreu. O bebê morto por Daryell, no caso que teve repercussão nacional, teve fissuras em seu bumbum e também traumatismo na cabeça. O caso revoltou a população. [VIDEO]

Jornal Bem Paraná afirma que lutador foi estuprado por 20 na cadeia

Mas o que aconteceu com o lutador virou uma verdadeira incógnita.

Publicidade

O site 'Bem Paraná', que tem até mesmo um jornal impresso na região, trouxe detalhes sobre como está a vida do suspeito. Na época da prisão do lutador, os presos que o receberam não teriam gostado da postura dele. A notícia da prisão do atleta acabou chegando a penitenciária e colegas dele tentaram se vingar na cadeia. Fotos que seriam do lutador chegaram a ser compartilhadas nas redes sociais.

Lutador teria sido estuprado em cadeia após morte de bebê; relembre o caso

Alguns sites chegaram a compartilhar que pelo menos vinte homens abusaram sexualmente do professor de luta. O acusado teria até lembrado que sabia lutar, mas foi ignorado, já que os homens em sua cela estavam em número maior. Foi então que ele teria sido abusado na cama e, mais tarde, levado a um hospital, onde passou por um procedimento para tratar os seus ferimentos.

Publicidade

Mãe de bebê lamentou ter confiado no homem errado

Ao ser preso, Daryell disse à ex-esposa que estava possuído pelo demônio quando abusou da criança. Apesar de ter relatado a possessão à mulher, só seria considerado se ele declarasse por escrito em depoimento. A mulher ficou revoltada com o que aconteceu e chegou a tentar agredir o companheiro. Ela precisou ser contida por familiares, que entendiam o seu sofrimento, mas que a alertavam que todos estavam em uma delegacia.

Mais tarde, através do Facebook, a mãe da criança lamentou e disse que a falta do seu filho. Em seguida, ela disse que acabou acreditando que o homem que estava era muito bom, mas que estava diante de um monstro. Até hoje, o lutador paga pelo seu crime na cadeia, mas voltar o tempo é impossível.

E você, o que pensa a respeito do assunto? Deixe o seu comentário. Ele é sempre importante e ajuda no diálogo. #estupro de vulnerável #É Manchete!