Publicidade
Publicidade

Não é de hoje que a #Coreia do Norte tem chamado a atenção de todo o mundo com o seu arsenal de armas nucleares e pelo comportamento pouco ortodoxo de seu líder, o ditador Kim Jong-Un. O país é cheio de leis e regras que nenhum outro no mundo tem. Por mais ridículas que sejam, os habitantes precisam seguir na linha para não adquirirem problemas com as autoridades.

No país comunista é proibido, por exemplo, ter o mesmo nome do ditador. Desde que o atual líder do país [VIDEO] tomou o posto do pai, todos os cidadãos que se chamavam como ele precisaram mudar de nome voluntariamente para que, assim, Kim Jong-Un se destacasse como a única personalidade norte-coreana a ter este nome, provando sua soberania sobre os demais habitantes.

Publicidade

O corte de cabelo no país asiático é um assunto importante para o Estado. Não dá para sair com qualquer tipo de corte do barbeiro; foram escolhidos pelo governo norte-coreano 18 tipos de cortes de cabelos para mulheres e 10 para homens. Assim, os salões de cabeleireiros só seguem o padrão escolhido pelo ditador.

Kim Il Sung era avô de Kim Jong-Un, pai de Kim Jong-il. Ele morreu em 8 de julho de 1994, 22 anos após tomar o poder do país, e por lá é proibido [VIDEO]qualquer tipo de manifestação nas ruas em respeito a sua morte. O chamado dia do luto proíbe que os cidadãos sorriam, bebam, dancem ou falem em voz alta nas ruas neste dia.

Ouvir música estrangeira, fazer telefonemas para outros países ou até assistir a filmes lançados em outras unidades federativas é considerado um crime contra o Estado na Coreia do Norte.

Publicidade

O contrabando de conteúdos em CD's e pendrives é um problema crescente no país, por conta da proibição. Se o cidadão é pego com um filme russo ou indiano, pode ser preso por até três anos. Mas, se o conteúdo encontrado tiver sido fabricado na Coreia do Sul ou nos Estados Unidos, o cidadão é condenado à morte.

Quem tem um parente envolvido com o crime é considerado criminoso pela lei do país nortenho. De acordo com a norma, os familiares são co-responsáveis pelo crime cometido.

E, para quem desaprova o governo de Kim Jong-Un e quer votar em um novo líder, ocorrem eleições de cinco em cinco anos. Acontece que nas cédulas de votação só existe o nome do atual líder e o eleitor se vê obrigado a mantê-lo no poder.

Recentemente, as coisas esquentaram entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte. Donald Trump usou as redes sociais para atacar Kim, que não deixou barato e fez várias ameaças contra o líder norte-americano. #Militar #Nuclear