Ao longo da história da humanidade, as mulheres foram tratadas das piores maneiras possíveis. Não foram poucas as civilizações que transformaram em um inferno a vida das pessoas que nascessem com o sexo feminino. Após muitas lutas, dos anos sessenta até a atualidade percebe-se um empoderamento notório. No entanto, ainda no século XXI existem #Países nos quais as mulheres não possuem nenhum direito e são tratadas como animais.

Arábia Saudita

Um dos países mais ricos do mundo, berço do petróleo e principal potência muçulmana do planeta, a Arábia Saudita é um dos piores (senão o pior) lugar do mundo para ser #Mulher.

Nesse país simplesmente as mulheres não possuem os direitos mais básicos, como o de dirigir. Atualmente, com a influência dos membros mais jovens da poderosa família Al Saud, algumas leves mudanças vêm sendo notadas. Estima-se que a partir do ano 2018 as mulheres possam dirigir. No entanto, as mulheres não podem fazer algumas coisas básicas sem possuir um homem tutor (pai, irmão ou marido):

- Solicitar passaporte

- Fazer viagens ao exterior

- Casar

- Fazer operações bancárias

- Empreender

- Submeter-se a intervenções médicas

Além disso, o código de vestimenta é extremamente estrito e as mulheres não podem sair na rua com o corpo descoberto.

Índia

Um dos maiores países do mundo, atualmente a Índia [VIDEO] é o lugar que mais espanta os ocidentais.

Hábitos precários de higiene, condição sub-humana de existência e sociedades de castas são algumas das principais características que tornam este lugar tão excêntrico. Recentemente, diversos casos de estupro coletivos têm vindo à luz e chocado a população. Segundo dados divulgados pela BBC Brasil a cada ano há uma incidência média de 25 a 36 mil estupros coletivos na Índia.

São comuns casos de estupro coletivo dentro de ônibus. Muitas vezes, uma única mulher é abusada por dezenas de homens. Com frequência, são mulheres jovens pertencentes à casta de menor prestígio social na Índia, os dalits. Apesar disso, qualquer mulher pode ser vítima. Há relatos de estrangeiras e mulheres de diferentes tipos e classes sociais.

Irã

O Irã é um lugar regido pela lei islâmica da Sharia. Isso significa dizer que naquele país impera uma lei religiosa milenar concebida no tempo do profeta Maomé. Segundo esta lei, o depoimento de mulheres vale menos do que o de um homem.

Os marido traídos, por exemplo, têm o direito de matar a esposa caso a encontre com um amante. Sendo uma sociedade governada por homens, evidentemente o mesmo direito não vale quando a mulher encontra o marido com a amante. É permitido o divórcio para o homem, mas a mulher não pode fazê-lo exceto se provar que o marido a abandonou ou então que este está mentalmente enfermo. Direitos básicos como estudar muitas vezes são limitados e o código de vestimenta é extremamente rigoroso. É proibido sair na rua mostrando os cabelos. São muito comuns crimes de apedrejamento.

Paquistão

O Paquistão é o lugar onde as mulheres são impedidas de realizar as coisas mais básicas. Em 2012, a jovem Malala Yousafzai tornou-se um ícone da luta do direito das mulheres ao ser baleada pelo grupo terrorista Taliban. A jovem denunciava as constantes empreitadas do grupo contra o direito das mulheres de estudar. Existem inúmeros casos de estupros coletivos realizados em tribos, ataques com ácido sulfúrico e mutilação genital. Definitivamente, o Paquistão é um inferno para as mulheres na terra. #India