Publicidade
Publicidade
3

Muitas pessoas têm o sonho de conhecer alguns lugares do mundo, mas acreditam que nunca conseguirão por causa do alto custo da passagem ou hospedagem deste lugar. Para conhecer a Austrália, por exemplo, um brasileiro precisa de algo em torno de R$ 5.000,00 para a passagem aérea.

Foi com essa vontade de viajar, conhecer lugares novos e a paixão por aviões que fez o americano Ben Schlappig, com apenas 15 anos, descobrir como viajar o mundo de primeira classe e ficar hospedados em hotéis de luxo totalmente de graça

Segundo seus cálculos, Schlappig percorre cerca de 647 mil quilômetros por ano, ou o equivalente a 16 voltas em torno da Terra.

Publicidade

Como começar

Desde criança, Schlappig era apaixonado por aviões, sabia todos os modelos e tecnologias de cada companhia aérea. Ele sempre teve o sonho de conseguir andar nesses aviões para lugares que nem imaginava.

Foi com apenas 13 anos de idade que o pequeno Ben descobriu um site chamado FlyerTalk, onde os internautas compartilhavam experiências sobre como acumular milhas aéreas conforme as regras burocráticas das empresas.

Ben aprendeu rapidamente, e com 15 anos de idade ele já voava todo fim de semana. Aos 17 anos, o americano já tinha percorrido 800 mil quilômetros.

"Desde os 15 anos, fiquei obcecado com os programas de fidelização e os usava de modo a minimizar os gastos das viagens o máximo possível", afirmou à BBC.

Acumulando milhas “infinitas”

Schlappig revela que, diferente do que muita gente pensa, a troca de milhas de companhia aérea após um voo pago não é o melhor caminho.

Publicidade

Ele explica que para acumular milhas em grande quantidade só é possível por meio de pontos de cartões de crédito, tíquete-refeição e outras modalidades de pagamento.

O jovem, que hoje tem apenas 25 anos de idade, revela que possui uma média de 40 cartões de crédito diferentes. "Por exemplo, nos Estados Unidos, você pode conseguir até 75 mil milhas apenas com uma compra mínima usando cartões de crédito", explica Ben.

"Por isso, não tomo nenhuma decisão sem me dar conta de quantas milhas aéreas posso acumular", explica.

Como usar o mínimo de milhas

O americano revela ainda que não apenas acumula grandes quantidades de milhas, mas também gasta o mínimo possível. Schlappig explica que as companhias aéreas começam a liberar assentos livres por baixa quantidade de milhas algumas horas antes, então o melhor caminho é apenas agendar o voo desejado e na véspera concluir o pagamento por meio de milhas.

"Se quero ir para Hong Kong nesta noite, entro na internet, reservo minha poltrona e, em quase todos os casos, posso trocar a passagem por milhas", revela Ben. #avião #milhasaéreas #Viagem