Publicidade
Publicidade

Mais um boato tornou a ganhar destaque nas redes sociais nesta última semana. Desta vez, a falsa informação traz consigo um vídeo que mostra o momento em que três professoras tentam passar batom nos lábios de um #menino que aparenta ter entre 4 e 6 anos de idade, que a todo instante reluta contra a atitude das professoras.

Esse tipo de notícia é conhecido na web como “fake news”, que é um falso acontecimento ou um acontecimento com informações erradas, que é o que melhor se encaixa nesse episódio envolvendo essa criança com as professoras. O vídeo mostra claramente uma professora segurando as mãos da criança, enquanto a outra se movimenta, tentando passar algo no garoto.

Publicidade

Vale ressaltar que essa falsa informação foi criada no ano de 2014, e tornou a ganhar destaque em nesta semana [VIDEO].

Na informação do vídeo, um suposto ensinamento da ideologia de gênero era realizado na sala de aula e as professoras estariam tentando passar o batom na boca do garoto para fazer ele acreditar que tal atitude seria normal. A publicação foi publicada primeiramente pela página Rio Conservador, na qual atingiu o maior número de comentários e compartilhamentos até o momento. Até o fechamento desta matéria, o vídeo já havia alcançado cerca de 2,5 milhões de visualizações e já se aproximava dos setenta mil compartilhamentos, como mostra na imagem abaixo.

No vídeo fica explícita uma situação de maus-tratos por parte dos professores contra o aluno, porém, a verdade é que o vídeo foi gravado no colégio Ipê Centro Educacional, em Águas Claras, no Distrito Federal.

Publicidade

Todo o registro foi feito por uma das funcionárias da instituição e veio à tona no sexto mês de 2015. A mãe da criança acabou entrando com uma ação na Justiça contra a instituição, que foi obrigada a pagar uma multa de R$ 30 mil por danos morais.

Não podemos afirmar ao certo, porém, as imagens, mostram que realmente a professora levou a mão até a boca do garoto, mas, ao invés de batom, ela teria passado uma cápsula de Ômega 3 e logo em seguida teria dito ao menino que seria “catarro”, o que resultou no desespero do garoto.

Mesmo sendo apenas uma cápsula de Ômega 3, a atitude das professoras foi completamente desnecessária e elas chegaram a ser repreendidas pela direção da instituição, que tiveram que arcar com as despesas do processo sofrido.

Infelizmente, o vídeo tem retomado as redes com a informação de que o garoto esteja sendo maltratado por não aceitar que passem batom, por uma professora feminista. Você poderá assistir ao vídeo a seguir, porém, já sabendo do que realmente se trata, você também poderá deixar seu comentário logo abaixo.

#professor