Publicidade
Publicidade

Qualquer tipo de vício é sempre prejudicial à saúde e isso quase todo mundo sabe, menos o viciado, que acha que o seu comportamento excessivo é algo normal e que errado são os outros que não têm a mesma compulsão.

Apetite sexual excessivo [VIDEO], desejo sexual hiperativo (DSH), hipersexualidade, satiríase (homens) e ninfomania (mulheres) são nomes dados aos distúrbios sexuais que atingem diversas pessoas, inclusive #Celebridades brasileiras e internacionais.

Vamos à lista

Charlie Sheen é um dos nomes mais controversos de Hollywood. Sucesso na série “Two And Half Man”, o ator afirmou já ter se relacionado com cinco mil mulheres.

Publicidade

Mas algo deu muito errado. O vício em sexo fez com que Sheen contraísse o vírus HIV, causador da Aids.

O rapper Kanye West, marido da socialite Kim Kardashian, afirmou que não consegue dormir sem transar pelo menos quatro vezes. Pode parecer legal, mas ele já chegou a afirmar que nunca fica satisfeito. Isso é um grande problema.

Sharon Stone é famosa pela cena clássica no filme “Instinto Selvagem” [VIDEO]. Publicamente, a atriz revelou ser viciada em sexo. A brasileira Cléo Pires também é viciada e afirmou que assistia a vídeos adultos pela internet.

Terry Crews, o Latrell de “As Branquelas” e o pai de Chris na série “Todo Mundo Odeia o Chris”, revelou que seu casamento quase acabou por causa do vício em material erótico. Esse mal atinge diversos #Famosos. Lindsay Lohan afirmou que substituía o vício em drogas pelo vício em material erótico e consumia vários filmes adultos desenfreadamente.

Publicidade

Neste material, estava incluso vídeos dela com outras mulheres.

Kim Catrall, da série “Sexy and City”, terminou casamentos porque seus parceiros não tinham o desempenho sexual que ela, uma ninfomaníaca, esperava.

Passando dos limites

O ator Rob Lowe teve que se tratar em clínica especializada depois que um vídeo em que ele aparecia transando com duas mulheres vazou. O problema estava no fato de uma delas ser menor de idade.

Quem também frequentou clínicas foi o astro Michael Douglas, que também estrelou “Instinto Selvagem”. O caso de compulsão sexual do ator é um dos mais conhecidos em todo o mundo.

O golfista Tiger Woods também seguiu o exemplo de Lowe e Douglas e foi se tratar em uma clínica para dependentes sexuais. Tudo aconteceu depois que uma lista de supostas amantes do esportista foi divulgada, em 2009, quando ele estava casado.

Não é brincadeira

A compulsão sexual e vício em material erótico não são brincadeiras. O tratamento médico, em alguns casos, é necessário. O vício, independente do que seja, sempre tira a pessoa de seu estado normal.