Publicidade
Publicidade

A chave para ser um grande amante pode ser bem mais simples do que se pensa. Um #estudo recente revelou que quase 70% dos homens se preocuparam muito com o tamanho do seu órgão reprodutor antes de dormirem com uma nova pessoa.

Porém, os homens que sofrem mais com essa ansiedade não precisam mais se preocupar tanto assim com isso. Afinal, as #mulheres realmente não se importam tanto assim com o tamanho. Na verdade, elas estão muito mais preocupadas com outro aspecto na hora do amor. [VIDEO]

O que as mulheres mais apreciam

De acordo com o jornal britânico Daily Star, que questionou suas leitoras, a resposta supera todas as outras.

Publicidade

A pergunta era: "O que torna alguém bom na cama?" e tiveram várias respostas. No entanto, a mais escolhida, por 36% das 5.196 mulheres questionadas, foi que os preliminares são a chave para uma boa noite de paixão.

Em seguida, na lista de preferências, elas escolheram que preferiam os homens que se preocupavam que "os dois chegassem ao orgasmo". Essa resposta foi escolhida por 33% das participantes. Em comparação, apenas 13% disseram que o "tamanho do órgão" era a chave para o sucesso na cama.

Aqueles homens que têm o problema de terminar o ato demasiado rápido parece que podem respirar de alívio, pois apenas 7% disseram que a resistência torna alguém bom na cama.

Importância no antes e no depois

No entanto, apesar de as mulheres terem elegido o antes, as preliminares, como o melhor de um homem na cama, a verdade é que outros estudos também sugerem que o depois, também é muito importante e prazeroso para elas.

Publicidade

De acordo com uma pesquisa recente do Conselho de Educação do Canadá e dos preservativos Trojan, os homens poderiam aumentar o prazer delas em 30%, com aquele abraço demorado após as relações. [VIDEO]

Em uma pesquisa com 2.400 mulheres, uma esmagadora maioria de 71%, revelou que aquelas que se abraçam durante seis a dez minutos após o coito, consideram tudo muito "mais prazeroso”, contra 41% das mulheres que abraçam menos e que não classificaram seu momento íntimo de forma tão positiva.

No entanto, esse estudo não tem equivalência com o do jornal Daily Star, que diz que suas leitoras parecem ser um pouco menos sentimentais, pois apenas 6% disseram que era importante "abraçar depois". Um outro fator que também parece não ter assim tão importância são alguns comportamentos mais arriscados. Apesar do sucesso das fantasias de Christian Grey no cinema, apenas 5% das mulheres disseram que gostariam de ser o parceiro dominante no quarto. #intimidade