O estupro é um dos crimes mais graves na sociedade. Isso porque pode atingir pessoas não apenas inocentes [VIDEO], como também aquelas que sequer conseguem compreender o que está acontecendo. Um abuso sexual filmado em agosto passado no Marrocos, por exemplo, mostra como os seres humanos podem ser cruéis a terem certas atitudes.

Uma jovem deficiente foi estuprada dentro de um coletivo por seis adolescentes, todos menores de idade. De acordo com informações da mídia internacional, os rapazes tinham entre 15 e 17 anos de idade. As imagens assustaram muitas pessoas. [VIDEO]

Vídeo mostra abuso coletivo dentro de ônibus contra jovem deficiente no Marrocos

O Marrocos é um dos países mais conservadores do mundo.

Assim como na Índia, estupros coletivos até são comuns. No entanto, esse chama bizarramente a atenção por vários motivos. O primeiro é o número de homens envolvidos e o fato deles serem menores de idade. No ônibus existiam outros passageiros além dos abusadores, sem contar o próprio motorista. Ninguém tentou fazer absolutamente nada.

O máximo que passageiros fizeram foi um vídeo para provar que os homens menores estupravam a pobre jovem deficiente. A gravação tem ao todo 50 segundos e mostra o completo desespero da menor de idade durante os atos.

Por que passageiros só se interessaram em filmar um estupro? Atitude também é crime

A mulher das imagens tem apenas 24 anos de idade. Ela teve as roupas rasgadas pelos abusadores e dificuldade para encontrar ajuda. Isso porque ela tem deficiência de aprendizagem e sua comunicação com outros seres humanos pode ser um pouco mais difícil.

No vídeo, no entanto, fica claro que ela tenta fazer de tudo para se livrar dos homens, enquanto os passageiros do coletivo não movem um músculo sequer para tentar salvá-la.

As imagens mostram que hoje muita gente quer filmar algo ao invés de se preocupar com o que é mostrado. No caso de Marrocos, quem fez o vídeo e não ajudou também está cometendo um crime.

A revolta é porque a menina em questão é deficiente, estava em um local público e o abuso aconteceu durante o dia, mas ninguém fez nada. Geralmente, fala-se que a culpa é da vítima por usar roupas chamativas, mas nesse caso, a opinião pública foi favorável à menina. Agora a principal discussão é sobre quando o #Estupro coletivo teria ocorrido. Isso pode ajudar a identificar os abusadores. Meses depois, no entanto, não há notícias de que esse caso , que teve repercussão em todo o mundo, já tenha ou não sido esclarecido pelas autoridades locais. #Crime absurdo