Alguma vez na sua vida você já parou para pensar como seria o mundo sem chocolate? Claro que não, pois quase todas as pessoas no mundo comem e amam chocolate. Para muitos, o doce tem o poder de mudar o humor e fazer com que o dia melhore instantaneamente. Para outros é a melhor sobremesa [VIDEO] que existe. O certo é que já não podemos mais viver sem ele. Mas uma notícia divulgada nos principais sites internacionais alertam que o chocolate pode sim acabar, e isso é uma realidade.

Especialistas atestam: chocolate pode acabar em 30 anos

Especialistas temem que o mundo possa ficar sem chocolate nos próximos trinta anos porque as plantações de cacau estão lutando para crescer em climas mais quentes.

A árvore de cacau prospera em condições úmidas, dependendo muito de fortes chuvas. A ameaça do aumento das temperaturas nas próximas três décadas significa uma perda de umidade no solo, o que os cientistas visam não ser compensada pela chuva.

Um aumento de temperatura de apenas 2,1ºC nos próximos 30 anos causado pelo #Aquecimento Global poderia significar um fim para a indústria de chocolates em todo o mundo, de acordo com a Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos EUA. Os agricultores de países como a Costa do Marfim e Gana, que produzem mais da metade do cacau mundial, agora enfrentam uma decisão sobre moverem ou não as áreas de produção do fruto para um terreno montanhoso que é cuidadosamente preservado para a vida selvagem. Mas um movimento dessa escala ameaça destruir seus ecossistemas já moribundos.

No ano passado, os especialistas previram que o mundo estava caminhando para um 'deficit de chocolate', enquanto os compradores nos países em desenvolvimento aproveitaram mais o de leite condensado - também chamado de chocolate branco. O consumidor típico ocidental gasta uma média de 286 barras de chocolate. Para 286 barras, os produtores precisam plantar cerca de 10 árvores para fazer o cacau e a manteiga que são os principais ingredientes na produção de chocolate.

Desde a década de 1990, mais de um bilhão de pessoas da China, Indonésia, Índia, Brasil e da antiga União Soviética entraram no mercado do cacau. Apesar do aumento da demanda, o suprimento não se manteve, e a existência de cacau está em decadência.

Doug Hawkins, da empresa de pesquisa de Londres, a Hardman Agribusiness, disse que a produção de cacau está sob pressão, já que os métodos agrícolas não mudaram há centenas de anos. "Ao contrário de outras culturas arbóreas que se beneficiaram do desenvolvimento de cultivares modernas de alto rendimento e técnicas de manejo de culturas para realizar seu potencial genético, mais de 90% da cultura global de cacau é produzida por pequenos agricultores em fazendas de subsistência com material de plantio não melhorado", declarou ao site MailOnline.

"Todos os indicadores dizem que poderíamos olhar para um #déficit de chocolate de 100 mil toneladas por ano nos próximos anos. Alguns relatórios sugerem que a Costa do Marfim, que é o principal produtor de cacau no mundo, recorra a cultivar florestas protegidas para atender a demanda", finalizou Doug. #mundo sem chocolate