Mais uma vez o comparecimento em massa e a pressão da população fizeram com que projeto seja retirado de pauta. O polêmico projeto assinado pelo vereador Dilto Vetorassi (PV) prevê aumento do número de vereadores de 15 para 19, causou a revolta da população que compareceu em peso no segundo dia da votação.

A presença numerosa de manifestantes foi motivada após Vetorassi chamar manifestantes de 'burros' na primeira votação, que ocorreu no último dia 17. Na ocasião, um dos manifestantes gritou que se estivesse sobrando dinheiro  deveria ser aplicado na saúde ou na educação. Vetorassi respondeu chamando o manifestante de burro e dizendo a ele que se não soubesse fazer conta, deveria aprender. 

Ao ser questionado sobre o ocorrido, o vereador se defendeu dizendo que chegou ao mesmo nível dos manifestantes.

Publicidade
Publicidade

“Chegou o momento em que tivemos que parar a sessão por 15 minutos porque três pessoas começaram, aos berros, ficar parando a sessão. A gente tem que dar um chega pra lá também e que fique todo mundo dentro do mesmo nível"

Mesmo com as manifestações, onze vereadores votaram a favor do projeto e somente três contra.

No segundo dia de votação, 1 de dezembro, ao se apresentar, Vetorassi foi recebido com hostilidade pelos manifestantes que devolveram o "burro" em uníssono.

A discussão do projeto entrou em pauta somente uma hora e meia depois do início da sessão, quando foram tratados somente termos técnicos e a votação do aumento do número de cadeiras na câmara foi retirada de pauta.

Apesar de estarem acompanhando a sessão, os manifestantes só conseguiram compreender o que havia acontecido dez minutos depois e só então comemoraram.

Publicidade

É a segunda vez neste ano que a presença em massa da população na câmara no Paraná mudam os rumos das votações.  No meio do ano, em Jacarezinho, durante um projeto que também aumentava o número de vereadores, a fala de um vereador para o presidente da câmara impulsionou os cidadãos a comparecerem. Ele puxou o microfone de lado e se dirigiu a presidente da câmara dizendo  "que meia dúzia de gato pingado não colocava pressão em ninguém”.

O povo naquela ocasião compareceu em peso à câmara, e além da decisão de aumento do número de cadeiras ser cancelada, eles votaram pela redução de 30% dos salários  dos vereadores a partir da próxima eleição. #Governo #Crise econômica #Recessão no Brasil