Através da 19ª SDP e da Delegacia da Mulher, a Polícia Civil do Paraná deu por concluída todas as investigações de um violento caso de estupro na cidade de Francisco Beltrão.

O #Crime aconteceu em meados de novembro de 2015, onde uma mulher foi agredida de forma brutal, além de ter sido estuprada. Ela tem 32 anos e o fato aconteceu próximo ao Aeroporto Municipal de Francisco Beltrão. A vítima teve graves ferimentos nas mãos, além de fraturar o maxilar e o crânio.

Com base nas investigações e depoimentos a delegada Emanuelle Carolina Baggio solicitou um mandado de prisão, que foi acatado e o suspeito foi preso no último dia 15, durante uma ação de diligencia da Polícia Militar do Paraná.

Publicidade
Publicidade

Após ser capturado, o homem afirmou que cometeu todas as agressões contra a vítima, mas negou ter estuprado, ou ter tido qualquer relação sexual sem consentimento. Mas a versão do suposto estuprador não convenceu a equipe de investigação, que acabou por indiciar pelos crimes de lesão corporal grave e estupro. A pena para os crimes em que foi indiciado pode ser de 8 anos até 14 anos de prisão.

Todos os procedimentos legais cabíveis foram tomados, e o inquérito enviado para o Poder Judiciário. E de acordo com o Ministério Público Estadual, já foi feita uma denúncia formal contra o suspeito. Ainda de acordo com informações da Polícia Civil o acusado encontra-se encarcerado na carceragem da 19ª SDP, na cidade de Francisco Beltrão.

A Polícia Civil do Paraná vem trabalhando incessantemente com a intenção de coibir e diminuir ao máximo as incidências de estupro no estado, pois apenas na capital Curitiba, de janeiro a setembro de 2015 foram registradas 415 ocorrências de violência sexual, por mais que seja alto o número, ele representa uma queda de 6,95% em relação ao mesmo período em 2014.

Publicidade

As delegacias da mulher em todo o país são unanimes ao pedir, sempre que sofra qualquer abuso sexual que denuncie e que não tenha medo, pois somente assim a justiça será capaz de ‘erradicar’ e punir esses elementos com todos os rigores da lei. #Violência #Casos de polícia