Até junho deste ano, a região metropolitana da cidade de Curitiba deverá ter implantado um novo sistema de cobrança de passagens nos ônibus municipais. Está previsto que o usuário dos coletivos poderá realizar os pagamentos usando cartões de crédito ou débito, não havendo mais a necessidade dos bilhetes.

Será responsabilidade do próprio sistema de cobrança das empresas realizar o cálculo do valor a ser cobrado, já incluindo os descontos caso o curitibano tenha direito. Esses abatimentos se dão quando são realizadas interligações entre os ônibus das demais frotas com a de Curitiba.

A garantia de que o sistema de cobrança estará funcionando e que os descontos serão atribuídos normalmente foram dados por Lessandro Zem, presidente da Metrocard, concessionária responsável por operar o sistema de bilhetagem em Curitiba.

Publicidade
Publicidade

A tecnologia que será utilizada de forma pioneira no Brasil, já funciona em cidades como Londres. Um projeto piloto vem sendo testado com sucesso pela Metrocard desde 2015. A empresa 'MasterCard' esteve presente no anúncio do novo sistema de cobranças e afirmou que no sistema londrino o método é bastante eficiente.

Ainda segundo o representante da empresa Mastercard, existe a expectativa de levar esse sistema de cobrança que será instalado em Curitiba a mais três regiões do país, entretanto, os contratos ainda não foram assinados.

No quesito segurança, a empresa Urbs, que controla as linhas da Curitiba, afirmou que está em processo de licitação para adquirir um sistema de biometria facial, com a finalidade de que se evite fraudes.

Essa tecnologia de identificação do usuário por meio de biometria já é utilizada pela Urbs, para identificar cerca de 220 mil usuários dos ônibus que possuem direito à gratuidade.

Publicidade

A ideia é expandir a forma de identificação para evitar o uso indevido dos cartões de crédito.

Informação importante: os usuários dos ônibus da região metropolitana de Curitiba que recebem vale-transporte de suas empresas estarão de fora, nesse primeiro momento, do programa de pagamento das passagens via cartões de crédito.  #Finança #Crise econômica