Um #Crime chocante aconteceu em Mauá da Serra, município localizado no norte do Paraná, a 112 quilômetros de Maringá. A cidade é pequena, tem aproximadamente 10 mil habitantes, e ficou horrorizada com a barbárie cometida por uma mulher, que matou o seu bebê a facadas, assim que deu à luz.

A mulher, de 33 anos, é, de acordo com informações da polícia, usuária de crack, mas não estava sob o efeito da droga - e de nenhuma outra - quando teve o bebê. 

Esse crime teria acontecido logo após a meia-noite de domingo (22), por volta de 00:45. Segundo informações, a mulher morava junto com um amigo, eles teriam conversado na noite de domingo e foram dormir.

Publicidade
Publicidade

Durante a madrugada o amigo teria levantado para ir beber água e encontrou a criança esfaqueada. Ele acionou a polícia, que quando chegou, se deparou com a criança recém-nascida com várias perfurações. À polícia, a mãe teria dito que sentiu muitas dores e que se auto esfaqueou para tirar o filho.

Os polícias acionaram o posto de saúde local, e o enfermeiro que fazia plantão verificou que acriança estava morta. O bebê morreu por hemorragia.

O local foi isolado e a Polícia Civil acionada, instaurando um inquérito para apurar tudo o que aconteceu realmente. O corpo do bebê foi recolhido pelo IML da cidade de Apucarana. A mulher foi identificada como Edioceia Foquim de Menezes - foi essa a única informação dada pela polícia, que não deu muitos detalhes pois a mulher pode ter agido pelo que se conhece como "estado puerperal", que é o momento logo após o parto e que algumas vezes desencadeia quedas nos níveis hormonais, de forma súbita, e também alterações bioquímicas no sistema nervoso central.

Publicidade

É claro que essa é apenas uma hipótese, pois a polícia também trabalhará com o fato de que o crime pode ter sido cometido de forma consciente, considerando que a mulher tivesse o intuito real de matar o filho, por vontade própria. Além disso, ela disse à polícia que havia se auto esfaqueado, mas há informações de que ela não tem ferimento nenhum.  #Investigação Criminal