Um movimento de esquerda conseguiu que 460 escolas fossem ocupadas em atos contra o presidente da república, Michel Temer. A justificativa do momento não é o “golpe”, conforme as ocupações anteriores, mas sim uma forma de dizer que não aceitam a proposta de reformulação da grade do ensino médio, que é analisada pelo Congresso Nacional.

Os atos foram organizados pela internet e já estão presentes em sessenta e três cidades paranaenses. Os atos não foram organizados pelos estudantes, mas sim pelo grupo de esquerda, Movimento Ocupa Paraná. Muitos alunos acabaram aderindo a ideia, apesar de serem minoria.

No total, cerca de 300 mil alunos do ensino médio e fundamental estão sem aula.

Publicidade
Publicidade

O protesto foca a reforma do ensino médio, mas muitas escolas ocupadas também possuem turmas do ensino fundamental, o que faz com que jovens de diferentes séries e idades fiquem sem aula em pleno final do semestre. No mês de novembro, costuma-se realizar as provas finais e trabalhos que complementem as médias finais em dezembro.

Os ‘estudantes’ devem se reunir em uma assembleia geral para avaliar a adesão ao movimento e definir representantes para cada escola e região. Além das ocupações, uma assembleia aprovou a greve dos professores, que irá iniciar na próxima segunda-feira, 17. Com as escolas ocupadas, mesmo que tenham alunos dispostos a estudar e professores que não queiram aderir à greve, será impossível a realização de aulas nessas unidades de ensino.

Movimentos de esquerda se focam em Curitiba

Essa semana também foi anunciado que movimentos de esquerda, como o MST e a CUT, já se organizam para realizar atos contrários a uma eventual prisão do ex-presidente Lula. O MST divulgou, através de seu representante João Paulo Rodrigues, que pretendem fazer uma caminhada no sul do país, até chegarem em Curitiba, onde é a sede do MPF que julga Lula e mesmo lugar onde o ex-líder do PT deve ficar preso, caso tenha algum pedido de prisão preventiva deferido antes do seu julgamento final.

Publicidade

O sul do país é bem dividido quando o assunto é ideologia política. Parte dos cidadãos defendem ideologias de esquerda e outra parte as de direita. Os estados do sul que mais possuem militantes favoráveis a Lula estão no Rio Grande do Sul e no Paraná. #Educação #Manifestação #Protestos no Brasil