Um cadáver foi achado por volta das 21 horas dessa quarta-feira (2) nas proximidades do Centro Cívico, em Curitiba, no Paraná. As partes do corpo de uma mulher estavam espalhadas pelo bairro no qual estão localizados os prédios governamentais da capital.

De acordo com informações coletadas, as pernas foram encontradas embaladas em panos na Avenida Cândido de Abreu, m importante logradouro do bairro, um dos mais conhecidos. Já o tronco foi achado dentro de um córrego do rio Belém, na Rua Aristides Teixeira, distante cerca de 300 metros do primeiro local e do restante do corpo.

Aspectos físicos

A vítima possuía lesões feitas possivelmente por arma branca, ou seja, que não é de fogo, o que indica que, além da provável asfixia que foi informada e apontada pelo Instituto de Criminalística, ela poderia ter sido esfaqueada.

Publicidade
Publicidade

Outra informação passada é de que suas mãos estavam amarradas para trás por duas faixas de artes marciais (azul e branca), o que pode ser um bom vestígio deixado. 

A vítima não portava nenhum de seus documentos pessoais com ela, o que dificulta muito sua correta identificação. Ela estava bem trajada, o que exclui o fato de ela ser moradora de rua. Usava sutiã cinza com rosa, camiseta estampada e calça jeans azul. Sua aparência é de cerca de 25 anos de idade. A tatuagem presente em uma de suas pernas poderá auxiliar no reconhecimento da mulher, além de suas características.

O crime e os suspeitos 

Moradores da região avistaram um homem lançando parte do corpo no córrego e fizeram as denúncias que levaram à descoberta do #Crime. Detido pela polícia, um morador de rua é suspeito e foi encaminhado para a delegacia para melhor verificação, mas ele se diz inocente. 

Por outro lado, um vídeo divulgado na internet mostra o momento em que dois homens carregam algo que supostamente seria o corpo da mulher, portanto, o criminoso não teria agido sozinho.

Publicidade

A Polícia Civil trabalha na investigação do fato. O corpo da vítima foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML). 

#Casos de polícia