A Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU) da cidade de Londrina divulgou o “Placar do Trânsito” relativo ao ano de 2016. O estudo mostra diminuição em atropelamentos e ocorrências de acidentes no ano passado. Foram 89 óbitos em relação aos 100 registrados no ano passado, teve queda de 11%, de acordo com site do órgão. O levantamento aponta que em relação à quantidade de acidentes, em 2015 foram 3565, enquanto que em 2016 foram registrados 3539 acidentes, os números se mantêm estáveis.

Os números com motociclistas também tiveram uma diminuição de 75, foram de 40 ocorrências fatais em 2015 para 43 em 2016. O perfil do total de vítimas envolvidas nos acidentes representou 78% do sexo masculino, com faixa etária entre 18 e 59 anos.

Publicidade
Publicidade

As vias com maiores índices de acidentes são os trechos urbanos na BR-369 (Av. Brasília) e PR-445, ambas com 9 mortes e o trecho da Av. Dez de Dezembro com 7 mortes. “No ano passado, 2016, tivemos um número elevado de pessoas sendo atropeladas, principalmente, da terceira idade. Infelizmente, algumas outras pessoas perderam a vida em função de cruzar em locais escuros, locais não permitidos que não tem faixa de segurança”, esclarece Hemerson Pacheco, diretor de Trânsito da CMTU. Para a Av. Dez de Dezembro, Pacheco informa que haverá uma padronização em relação à velocidade na via que irá para 60km/h.

Em relação ao monitoramento por radares em 2016 houve a emissão de 223.619 multas, nas quais 98.865 foram por excesso de velocidade, 83.223 emitidos pelos agentes da companhia e 11.898 por avanço de sinal e parada sobre a faixa de pedestres.

Publicidade

A infração mais cometida no ano passado pelo motorista londrinense foi dirigir sem o cinto de segurança, ato responsável por 24.632 multas, seguido pelo uso do celular ao volante, com 15.601 autuações.

Resgate do projeto “Pé na Faixa”

A Companhia pretende resgatar o projeto “Pé na Faixa” lançado em 2009 com a intenção de educar os pedestres quanto à sinalização. “Num primeiro momento, quando ele foi idealizado ele veio cumprir sua missão e depois ele parou, mudou a gestão e por isso que hoje estamos resgatando o pacote de ações”. As primeiras medidas a serem tomadas sobre a volta do “Pé na Faixa” são revitalização das placas vandalizadas, campanhas educativas, revitalização das faixas de pedestres, instalação de guarda-corpos.

“A preservação da vida é o nosso maior objetivo e, nesse sentido, ações de conscientização, sinalização e fiscalização são os caminhos possíveis na construção de um trânsito mais seguro e humanizado em Londrina”, acrescenta o diretor da CMTU. #transito #pénafaixa #radar