Na tarde deste domingo (12), um incêndio de proporções leves tomou conta de um apartamento localizado no terceiro andar do Edifício Claude Monet, no bairro Batel, em #Curitiba. Segundo Laércio Alves, porteiro em escala no horário da emergência, a família residente no imóvel, um casal e duas crianças, teria deixado o local por volta do meio-dia, cerca de duas horas antes do ocorrido, transportando malas de viagem. “Eu vi a fumaça saindo da janela da cozinha e precisei agir muito rápido. Chamei os bombeiros, desliguei o sistema de gás, desativei os elevadores e liguei em todos os 14 andares solicitando que as famílias saíssem pela escada de incêndio. Como não consegui falar com o pessoal do 10°, subi até lá e os acompanhei. Em 20 anos de trabalho, esse foi o maior susto da minha vida”, revela. Considerando os demais moradores do local, não houve registro de vítimas.

Trabalho dos bombeiros

Mobilizando equipes do Centro, do Portão e do Boqueirão, o Corpo de Bombeiros agiu imediatamente, com a intenção de amenizar as chamas e impedir que o fogo se alastrasse pelo restante do prédio. E, mesmo com a ação de quatro caminhões, o tempo despendido no controle das chamas foi de mais de uma hora. De acordo com o capitão Jefferson Batista, “o foco maior de fumaça e temperatura estava em um dos quartos” do apartamento de aproximadamente 250 metros quadrados.

Durante a atuação dos bombeiros, a Avenida Visconde de Guarapuava, rua onde se localiza o edifício, teve suas três faixas da esquerda bloqueadas, limitando o trânsito. A situação foi normalizada por volta das 17h30, quando os bombeiros finalizaram suas atividades e os moradores do local puderam retornar às suas moradias.

Motivação do incêndio

Até o momento, não há confirmações sobre a causa do incêndio, mas uma investigação será aberta para apuração dos fatos. O pressuposto do Corpo de Bombeiros considera que os moradores tenham deixado algum aparelho ligado.

Imprevistos

Durante a atividade de contenção do fogo, houve dois imprevistos no local. O primeiro ocorreu quando uma das mangueiras em utilização se desprendeu do caminhão, golpeando um bombeiro. O trabalhador foi prontamente atendido por socorristas que estavam no local e não ficou ferido de forma grave, apenas um pouco atordoado. Já o segundo problema se deu pouco depois, no momento em que um cilindro de ar também se desvencilhou de sua base e “voou” em direção àqueles que trabalhavam ou acompanhavam a ocorrência. Nesse caso, ninguém foi atingido.