Publicidade
Publicidade

Moradores do Paraná viveram momentos de medo e apreensão entre a noite de domingo (17) e a madrugada desta segunda-feira (18) devido a um abalo sísmico de magnitude de 3,5 graus e com profundidade superficial, segundo informações do Centro de Sismologia da Universidade de São Paulo (USP). Mesmo com a confirmação dos registros, não foi informado nenhum atendimento, segundo informou o Corpo de Bombeiros. Mesmo assim, o tremor assustou moradores das cidades de Rio Branco do Sul e Itaperuçu, região metropolitana de Curitiba. A Defesa Civil informou que até o momento não há registros de feridos ou estragos.

"Foi tenso, mas já passou.

Publicidade

Deu um pouco de medo", disse um morador de Almirante Tamandaré em um post no site da USP. Outra moradora de Rio Branco do Sul também comentou que parecia uma explosão e que as janelas ficaram sacudindo por causa disso. A Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil disse que não foram abertos chamados para atender ocorrências, mas muitas pessoas ligaram por curiosidade, para ficar sabendo o que aconteceu.

De acordo com o jornal "Folha de São Paulo", foram dois tremores em regiões diferentes do Estado do Paraná. O primeiro com magnitude de 4,5 na escala Richter ocorreu às 3h16 em Rio Branco do Sul com profundidade de 52 km. Dois minutos depois, um tremor com magnitude ainda maior, de 5,1 na escala Richter foi registrado em São Jerônimo da Serra, distante a 355 km de Curitiba, na região Norte do Paraná.

Publicidade

Esse segundo tremor teve uma profundidade de 10 km. Apesar da intensidade do tremor, a Polícia Militar disse que não deu para sentir a terra tremer na pequena cidade do interior paranaense.

Paraná já registrou outros tremores de terra

Nao é a primeira vez que a terra treme no Paraná. Em janeiro do ano passado foi registrado um abalo sísmico em Londrina, a segunda maior cidade do estado, também localizada na Região Norte. Em função disso, foi necessário cancelar o expediente no Fórum Criminal da cidade porque o prédio era antigo e já tinha rachaduras. Para evitar uma possível tragédia, um bombeiro sugeriu que o local fosse evacuado.

Um dia antes do incidente foi registrada uma série de problemas como danos em prédios públicos e pontes da cidade, além de rachaduras. Esses incidentes foram atribuídos às fortes chuvas que ocorriam na região, fato comum neste período do ano. O novo abalo sísmico registrado no Paraná coloca os moradores em estado de alerta. #Curitiba #Natureza