Finalmente chegou a tão sonhada entrevista de emprego. O momento pelo qual você esperou a semana inteira, e que pode alavancar sua carreira e concretizar seus sonhos de uma vida melhor (ou pelo menos uma vida com dinheiro para o chopp do fim de semana). Tudo vai depender de como você vai se preparar e, principalmente, do seu comportamento diante do entrevistador.

Antes de qualquer coisa é preciso se informar sobre a empresa na qual você está pleiteando uma vaga. Isso vai demonstrar que você se preparou e reservou valiosos minutos da sua vida para se inteirar acerca da atual situação do seu almejado local de trabalho.

Portanto, jogue o nome da companhia no google, busque saber seu posicionamento de mercado, há quanto tempo atua no seu segmento, e quais são seus principais objetivos, por exemplo. Isso já deve te dar alguns pontinhos a mais na hora de fazer perguntas inteligentes, ou pelo menos uma base na hora de respondê-las.

Aquela história de que “a primeira impressão é a que fica” é uma absurda verdade quando o assunto é recrutamento de recursos humanos. Escolha uma roupa apropriada e profissional. Prefira tons pastéis, tanto para homens como para mulheres. Mas é bom saber a medida: é necessário estar impecável, mas não exagerado. Evite mostrar muito a pele, ostentar jóias e acessórios e, principalmente, a maquiagem excessiva.

Seja pontual. Chegue pelo menos 10 minutos antes do horário marcado. Certifique-se que não está cheirando a cigarro e nem mesmo com perfume muito forte e desligue o celular, ou coloque o aparelho em modo silencioso.

Perguntas

Quando o entrevistador chamar, seja cordial (e comedido) e esqueça o nervosismo. Levante-se, sorria, estenda a mão e se apresente. Esteja preparado para todo tipo de pergunta. Preste atenção em cada palavra que está sendo dita, sem interromper o seu entrevistador.

Entretanto, não tenha receio de pedir esclarecimentos se não entendeu bem alguma questão. Responda honestamente a todas as perguntas colocadas, sem fugir do assunto central, sempre falando a verdade, somente a verdade, nada mais que a verdade.

Fique à vontade para perguntar. Um entrevistado que apenas ouve e acena com a cabeça não será visto com bons olhos pelo entrevistador. Peça para explicar o organograma da empresa, o que espera de você no cargo pretendido, entre outras questões pertinentes. Seu interesse vai demonstrar empenho e o profissional dedicado que você é.

Acima de tudo, conserve uma imagem de profissionalismo e uma atitude de respeito, mesmo que o entrevistador adote um tom mais informal. Nunca trate o entrevistador pelo seu nome próprio, a não ser que ele tenha pedido. 

Linguagem

Nosso corpo tem linguagem própria. Sente-se confortavelmente, mas de forma direita, evitando se encostar muito na cadeira e todas as posturas informais. Não mexa com objetos seus ou que estejam à sua volta. Mantenha o contato visual com o entrevistador e respeite seu espaço, sem muita aproximação física.

Antes de se despedir certifique-se do que acontecerá dali em diante. O entrevistador vai te ligar? É você que tem de ligar para o departamento de recursos humanos? Haverá uma segunda fase de entrevistas? Mesmo se a resposta for não, a empresa vai informar sobre isso? Quanto tempo deve esperar por uma resposta?

Quem faz recrutamento está mais do que habituado a responder a esse tipo de questões, por isso, sinta-se à vontade. Será sempre melhor estar informado do que tomar aquele susto cada vez que o telefone toca durante a semana. Na hora da despedida, agradeça ao entrevistador, mantendo o contato visual, aperte a sua mão e despeça-se de forma cordial.

Não se esqueça de levar os documentos que possam ter solicitado ou que você acha que podem ser úteis na entrevista. Isto inclui cópias extras do seu currículo, cartas de recomendação ou portfólio. É bom também levar um bloco de notas e uma caneta, caso necessite anotar alguma informação importante.

Seguindo esses passos é bem provável que você cause, pelo menos, uma boa impressão na entrevista, o que já é boa parte do caminho andado. Esteja sempre preparado para o sim – e para o não, que necessariamente não deve ser o fim do mundo, e sim uma injeção de ânimo para a próxima entrevista, na qual você se mostrará ainda mais preparado para os desafios do novo mundo que se abrirá para você.