Se tem parte do corpo humano que chama a atenção das pessoas em praticamente todos os lugares no mundo, essa parte chama-se cabelos. Alguns preferem os cabelos compridos, outros os curtos, outros os calvos, e por ai afora.

Sansão - um personagem bíblico, por exemplo, de acordo com alguns registros Sagrados possuía um cabelo símbolo de força, de poder, de sedução, etc., e nos tempos atuais enxergar lindas mechas de cabelos pode-se dizer que tornou-se comum, pois enfeitam, seduzem, chegam a valer fortunas. Algumas pessoas chegam até a deixá-los crescer além da cintura com objetivo  de “pagar” promessas, outras se arriscam a roubá-los e por ai afora, mas se de um lado os cabelos compridos enfeitam e alegram seu possuidor por onde passam, do outro, no local de trabalho, por exemplo, eles são bem vistos ou mal vistos?

A questão do cabelo longo ser bem ou mal visto no local de trabalho vai depender da situação na qual se apresenta, por exemplo: se a realização das tarefas for em máquinas ou equipamentos onde há perigo de agarramento desses em partes móveis, nesse caso são mal vistos; se as tarefas a serem executadas forem em áreas administrativas, ou seja, onde não há perigo de agarramento dos cabelos em partes móveis, eles podem ser bem vistos, mas se as tarefas exigirem deslocamentos entre partes onde há e não há perigo dos cabelos serem agarrados, nesse caso o melhor é não deixá-los soltos e pronto e acabou.

Aderir à decisão radical de não utilizar cabelos soltos em certas partes do ambiente ou local de trabalho pode até parecer imposição, mas de que valerá apreciar um crânio vitimado pela ação de um acidente que poderia ter sido evitado?

É certo que as pessoas que possuem cabelos compridos serão contra esse tipo de impedimento, mas a prevenção tem de ser elaborada e imposta pelo empregador junto ao empregado segundo os legisladores oficiais, a fim de evitar a ocorrência de certos danos, inclusive os que se tornam irreparáveis, e um crânio vitimado por um arrancamento de cabelos, além de ser um desses, também não é nada bom de ser visto.