O ser humano passou milhares de anos vivendo e explorando a natureza e todos os recursos deste planeta sem se preocupar com sua conservação ou manutenção. Isso ocorreu principalmente devido ao fato de o impacto ambiental ter sido historicamente absorvido, sem maiores problemas, até o final do século XIX.

Os filósofos  da Grécia Antiga já se preocupavam com a preservação do meio ambiente. Anteriormente, Platão lamentava as florestas perdidas que cobriam as montanhas estéreis da Grécia, séculos antes descritas por Homero. A causa foi a utilização da madeira, principalmente na construção de navios e em fornalhas para produzir armas, o que levou à destruição das florestas.

Publicidade
Publicidade

Somente na segunda metade do século XX o ser humano conseguiu a proeza de triplicar a espécie, ou seja, passou de 2 bilhões para 6 bilhões de pessoas. Acompanhando a explosão demográfica, com o crescimento dos mercados de consumo, as indústrias de todos os setores poluíram a terra, as águas e o ar.

Atualmente, as indústrias que buscam o controle ambiental têm os custos reduzidos porque consomem menos água e energia, usam menos matéria-prima, têm menos sobras e reutilizam, reciclam ou vendem resíduos. Elas podem ainda aproveitar recursos ambientais de custo zero, como a iluminação do sol, a ventilação natural ou o abastecimento de água potável por meio da chuva.

Com custos  reduzidos a competitividade aumenta, pois é possível se ter preços menores e melhor imagem para os consumidores, que cada vez mais exigem processos produtivos que respeitem o meio ambiente.

Publicidade

O uso racional dos recursos florestais pode ser complementado, por exemplo, pelo turismo. O turismo é hoje uma das indústrias  que mais cresce no mundo, e os países que souberem utilizar este crescimento a seu favor, como a Costa Rica, que transformou suas florestas em fontes geradoras de renda, terão lucro ao mesmo tempo em que protegerão um bem de valor inestimável, a biodiversidade.

A escassez de um bem, aliada à procura do mercado, aumenta seu valor. Esse é o princípio da lei da oferta e da procura.  #Negócios #Educação