Desde que o Brasil deixou de ser colônia e passou a ser governado por presidentes a causa da miséria no país tem sido tratada de forma injusta. Muitos candidatos utilizam essa situação como propaganda eleitoral e também como meio de conseguir convencer os outros países que o Brasil é um país altamente desenvolvido. Presenciamos diariamente através dos meios de comunicação fatos que nos levam a crer que a situação da miséria no país está sob controle e que o Brasil tem alimentos até mesmo para exportar. A realidade é que o lançamento da Bolsa Família e os programas Fome Zero, não passam de uma ideologia antagônica, pois a maioria das pessoas que se beneficia da Bolsa Família deixa de trabalhar para ficar nos bares bebendo ou em casa assistindo novelas.

A Bolsa Família tem sustentado muitas famílias que não precisam, enquanto que apenas 10% dos beneficiados realmente tem necessidade, muitas vezes por se tratar de famílias numerosas onde a mãe é viúva e doente e os filhos são muito pequenos para trabalharem.

A Fome Zero foi um programa muito importante no Brasil, mas não atingiu o seu real objetivo que é eliminar a fome, pois há no país mais de 8 milhões de pessoas em grande miséria. Apesar de o Brasil ter atingido um bom número de atendimento e ter suprido a nutrição de 40% da população, ainda tem 60% da população para ser atendida.

Infelizmente a fome zero e um país desenvolvido ainda são parte de um espelho de duas faces. Para que realmente esse programa funcione, primeiro deve-se analisar minuciosamente as pessoas que deles se beneficiarão e selecionar aquelas que têm saúde e idade para trabalhar, a fim de recoloca-las no mercado de trabalho.

Outra solução é reduzir a natalidade e preservar a saúde, nutrição e educação das crianças que estão crescendo no país, bem como se deve implantar mais empresas nacionais onde jovens e chefes de família possam ganhar seu sustento de forma digna e não "à toa" como boa parte dos brasileiros estão descrevendo os programas Bolsa Família e a Fome Zero. #Opinião