Estamos vivendo um período de muitas expectativas a respeito do futuro. Passamos por ano eleitoral, crises mundiais, escândalos, novas doenças, conflitos intrínsecos à sociedade moderna. Resta saber quais mudanças estão reservadas para os próximos anos. O quadro de instabilidade econômica é grande, mas existe uma parcela da população comprometida com a formação profissional e muitos destes possuem o empreendedorismo no "sangue".

O conceito de empreendedorismo é amplo. A Universidade de Maryland, no curso de #Inovação e empreendedorismo, utiliza a seguinte definição: "como entender a criação de um empreendimento ou negócio que tem chance de obter lucro ou sucesso." "Pode ser um negócio ou empreendimento.

Publicidade
Publicidade

Pode ser uma organização, inclusive sem fins lucrativos, ou então uma extensão de uma grande instituição, mas o que estamos buscando é o aspecto criativo de construção dessa organização, que vai operar com alguma chance de lucro ou sucesso", diz James Green, diretor de educação em empreendedorismo no MTech.

De acordo com a Fundação Dom Cabral, em pesquisa realizada com 291 empresas, 25% das startups (empresas iniciantes de tecnologia) fecham as portas em até um ano de atividade. Não dedicar tempo integral à empresa, desalinhamento de interesses pessoais e profissionais dos fundadores e falta de capital para investir no negócio foram as principais causas da mortalidade apontadas pelos empreendedores na pesquisa.

Como empreender em um cenário de tantas dificuldades? Como escolher o melhor caminho?

É admirável a coragem que muitos possuem em abrir mão da estabilidade de um emprego, da comodidade de se manter dentro de uma organização e crescer mediante um plano de carreira.

Publicidade

Para essas pessoas, isso não é suficiente. A angústia da alma anseia por outros horizontes, por fazer a diferença. É importante ter o conhecimento, mas existem também casos de sucesso em iniciativas, cujo negócio era desconhecido.

O que motiva as pessoas? Desafios? Oportunidade em ganhar muito dinheiro? Independência? Liberdade? Criar produtos, relacionamentos, empregos? Deter o controle?

Existem os empreendedores de estilo de vida, os que querem crescimento rápido, os de baixa tecnologia, alta tecnologia, seriais ou serial entrepreneur (que criam #Negócios, um após o outro) e os múltiplos (gerenciam vários negócios ao mesmo tempo).

O que desanima as pessoas? O risco de perdas financeiras ou de tempo? Medo do fracasso? Pressão familiar? Custo de oportunidade alta?

É difícil tomar a decisão de empreender e quanto mais o empreendedor tem a perder, mais difícil se torna a tomada de decisão. Quando o empreendedor parte do zero, provavelmente o impacto de uma possível perda é menor.

Publicidade

É importante calcular o risco. O sonho da conquista muitas vezes pode obscurecer a visão realista. Entretanto, se olhar sempre para as dificuldades, o espírito empreendedor que habita em diversas pessoas estaria comprometido.

Mantendo a chama acesa

Algumas diretrizes são consideradas importantes para aumento das chances de sucesso: elaborar plano de negócio, plano de marketing e demonstrações financeiras, pesquisas de mercado, avaliar casos de fracasso, realizar alianças ou solicitar apoio de entidades governamentais. Mais o mais importante para ter sucesso no empreendimento é a motivação e o mais difícil do empreendedorismo é descobrir a oportunidade. É necessário identificar a oportunidade, analisar e tomar decisão de forma racional, mas preservando a paixão pelo empreendimento ou negócio. #Opinião