Já está disponível no site da Receita Federal, a consulta do último lote do Imposto de Renda referente ao exercício de 2013. Quem não recebeu em um dos sete lotes disponibilizados ao longo do ano, automaticamente consta na lista da malha fina do órgão. Essa lista retém a declaração para verificação de eventuais pendências ou omissões.

Para o contribuinte que teve o nome incluído na malha, precisa acessar o site do fisco e descobrir qual ou quais pendências constam em sua declaração e enviar uma espécie de retificadora para a Receita Federal e, deste modo, sair da malha fina. Quando a situação for solucionada e o contribuinte tendo direito à restituição, ela será incluída nos lotes residuais do IR e pago posteriormente.

Os valores serão pagos no próximo dia 15 e acumulam cerca de R$ 1.600 bilhão de reais contemplando mais de 1.42 milhões de brasileiros no total das restituições deste ano. Quando somadas as restituições residuais, o valor chega a superar os R$ 1.800 bilhão de reais.

Para quem está na última lista disponibilizada pela Receita Federal, pode engordar o natal com presentes e mais fartura nas festas, programar uma viagem de férias como a família ou economizar para as contas de início de ano: IPVA, IPTU, matrícula, material escolar, e diversos outros impostos que o brasileiro não consegue se livrar.

Junto com os impostos de 2015, vem a promessa de campanha do atual governo de reajustar a tabela do Imposto de Renda em 4,5% o que, teoricamente impede que o trabalhador pague mais imposto. Segundo o Ministério da Fazenda, esse índice é calculado com base no mesmo percentual que o governo estabelece como meta para a inflação anual.

Algumas manifestações de trabalhadores e sindicatos afirmam que o índice não condiz com a defasagem sofrida ao longo dos anos, onde o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Final Amplo) esteve sempre acima do valor proposto para o reajuste.

Os valores vão se acumulando durante os anos, o trabalhador não recebe o ajuste de acordo com a defasagem, e segue pagando a conta. O leão sempre faminto, não distingue quem está certo ou errado: quer apenas devorar sua caça! #Opinião #Finança