Produtores rurais da cidade gaúcha de Santa Maria, que fica na região central do estado, já ficaram cinco dias sem energia elétrica e tiveram um prejuízo que estimam passar dos vinte mil reais. Como não conseguem resolução para seus problemas, resolveram protestar na AES Sul, que é a responsável por garantir a energia elétrica na cidade. Em um protesto pacífico, derramaram trinta litros de leite no escritório da companhia de energia. Esses foram apenas alguns dos milhares que os produtores perderam.

As famílias que estão sem energia estão perdendo aproximadamente quatro mil litros de leite por dia. Isso acontece por que após a ordenha ser feita, o leite deve ser imediatamente resfriado em tanques de expansão, que depende da energia elétrica para funcionar.

Publicidade
Publicidade

Além disso, famílias que têm mais cabeça de gado e fazem uso de ordenhadeira mecânica para agilizar o processo da ordenha, sem a energia, não podem fazer uso do equipamento, o que leva a uma maior demora no período da ordenha. Com isso, há uma alteração na rotina do gado e consequente, queda na produção leiteira, que certamente essas pessoas notarão em breve.

Como se não bastassem todos os problemas já citados, na zona rural, é comum que a água, que é servida ao gado, seja levada através de bomba, que, mais uma vez, depende da energia elétrica. Sem ela, a água dos poços não tem como ser bombeada e os cochos ficam vazios.

As famílias também já perderam o seu próprio alimento, que estava na geladeira. Pois, com cinco dias sem luz não há alimento que suporte. Tudo acaba estragando.

A companhia de energia, AES, informou que a falta de energia é devido a um temporal que ocorreu no dia vinte de dezembro.

Publicidade

Além de Santa Maria, há falta de luz nos municípios de São Pedro do Sul e Formigueiro. Juntos somam cento e oitenta pontos com falta de energia. Não há previsão para que tudo se normalize, mas a empresa prometeu agilizar.

A Agência de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do Rio Grande do Sul (Agergs) informou no último dia vinte e três de dezembro que essa demora de reestabelecimento de energia pode resultar em multa para as companhias envolvidas. #Negócios #Pecuária