Tirem os plugs das tomadas e apaguem as lâmpadas. O preço da energia vai aumentar de acordo com a falta de água para gerá-la. Tarifas extras serão adicionadas às contas de energia sempre que as usinas termelétricas forem postas em funcionamento para gerar eletricidade que as hidrelétricas não conseguirem produzir. Essa é a fórmula inventada pelo #Governo para cobrir os custos da geração sem aumentar os preços cobrados. Na verdade, o preço aumentará com a alegação que é só para compensar o uso de outra forma de geração, mas o tanto de dinheiro que sairá do seu bolso no final do mês será maior, e você não será compensado por isso. Será penalizado.

Publicidade
Publicidade

A cascata de aumentos irá começar na conta de energia e se estenderá na sua lista de compras da padaria, pois os fornos para fazer pão são elétricos; no supermercado, que mantém máquinas e condicionadores de ar ligados; na taxa de condomínio, pois os elevadores usam bastante energia, e onde mais a energia se faça presente. Onde não está?

E se do lado de fora você vai ser forçado a pagar uma conta mais salgada pelos produtos e serviços que consome ou usa, dentro de casa, o imperativo é economizar cada watt possível. Lâmpadas, banho, máquinas em geral, ventiladores e condicionadores de ar, e tudo o mais deverá ser usado com moderação e em ritmo de contenção.

É claro que não é nada bom termos que viver com ameaças de aumento de preços assim, porém, é necessário que percebamos que os recursos naturais, que sejam infinitos, finitos, ou mesmo renováveis, precisam ser administrados com inteligência e não podem ser desperdiçados.

Publicidade

Mal comparando com a expulsão de Adão e Eva do paraíso, precisamos, hoje, ser responsáveis pelo conhecimento que temos e, por isso, trabalhar para viver da melhor forma e em harmonia com o planeta que nos serve de morada. Antes, era como se vivêssemos no paraíso, e não sabíamos que um dia aquilo tudo podia se acabar. Depois de comermos o fruto que nos deu conhecimento, temos que viver de acordo com as necessidades que aparecem no nosso cotidiano. Trabalhar muito, pagar caro pelo conforto, segurança e lazer, e não poder fazer mau uso do que temos, ainda, à mão. A água já deu sinal que não está disponível; a energia fazendo a mesma coisa. Em breve, o que mais se apresentará cobrando os custos? O ar, que em alguns lugares já é de péssima qualidade; o mar, que usamos mais como lixeiro. Certamente ainda há alguns pontos cegos em nossa vida e que deverão se tornar visíveis no futuro bem próximo. Faz parte de nossa evolução e da contínua tomada de consciência que vimos tendo desde o momento que perdemos o paraíso.

Um desses pontos cegos é achar que dinheiro compra tudo e resolve todos os problemas. Ainda não vemos o quão errado estamos e, por enquanto, vamos aumentando os preços.