A estiagem chegou de forma avassaladora em dezembro de 2013 e como um parente distante chato, decidiu passar uma temporada pelo país, sobretudo pela região sudeste. O assunto é sério e rixas políticas ou críticas sem solução à parte, chegou a hora que tanto temíamos: racionamento, economia ou desidratação.

Assim como a maior parte de nosso corpo é liquido, nosso dia a dia depende desse precioso bem também. Como não dá para fazer chover com a força da mente e ficar reclamando dos governadores não resolve o problema, listamos algumas dicas básicas para usar a água sem ficar esse precioso liquido em casa.

1º Para começar, não lave seu carro ou moto.

Publicidade
Publicidade

Por mais que eles fiquem muito mais bonitos limpos, em uma situação de escassez de água seu carro ou moto continuarão funcionando sem um banho, mas você, seus filhos, familiares e amigos não aguentariam muito tempo sem água. É uma questão de prioridade.

2º Varra o chão, não o lave! Muita gente gosta de ligar a mangueira e esbanjar água à vontade na hora de limpar calçadas, ruas, garagens e aéreas de lazer. Use a vassoura. Talvez você não saiba, mas ela foi feita para tirar a sujeira solta sobre o chão.

3º Escove os dentes com a torneira fechada. Abra só quando de fato for utilizá-la. O mesmo vale na hora de lavar a louça ou as roupas. Tem gente que ainda está ensaboado as panelas e deixa a torneira aberta. Outras já estão com o tanque cheio de água, mas insistem em transbordá-lo. Se você usar a medida certa, vai conseguir o mesmo resultado e ainda vai sobrar água na sua caixa.

Publicidade

4º Reaproveite água. A água que sobrar após torcer ou centrifugar as suas roupas podem ser armazenadas em algum recipiente ou até no seu tanque para lavar o banheiro ou o chão.

5º Sei que essa é a parte mais difícil, mas procure ficar menos tempo no banho. Depois de um dia estressante, nada melhor que tomar um banho demorado, mas se você não tem banheira, essa opção deve ser colocada de lado até a situação hídrica do país melhorar. Procure se policiar e determinar o tempo máximo para o uso do chuveiro. No começo você vai estranhar não ficar debaixo da água até seus dedos ficarem murchos, mas depois vai se acostumar e até gostar.

6º Se possível, crie alguma mudança no encanamento que recebe a água do chuveiro. Muitos edifícios já têm realizado tal mudança, que funciona da seguinte forma: A água que escorre pelo ralo é reaproveitada para a descarga e algumas torneiras previamente selecionadas, como a externa que usamos para lavar o chão ou as mãos após alguma limpeza.

7º Se você tiver alguma economia, compre uma ou mais caixas de água para instalar em sua residência. Apesar de não ser um produto caro, seu preço subiu devido a elevada demanda dos últimos meses. Não é que possuindo mais de uma você poderá gastar mais, mas ao tê-las, você se previne de algum racionamento mais severo.

Se todo mundo seguir essas regras, teremos mais “jogo de cintura” para lidar com a falta de água.