Diante do receio de possíveis atos de violência, no protesto anunciado pelo Movimento Passe Livre em São Paulo contra o aumento das tarifas de ônibus e metrô, marcado para o dia 09 de janeiro, a Polícia Militar sinalizou que vai utilizar cordões de policiais para garantir o isolamento dos manifestantes e manter a segurança do evento. Outras medidas que serão adotadas preveem que as pessoas que transitarem pela região durante o protesto serão revistadas, sendo vedados instrumentos como objetos inflamáveis e combustíveis, além de armas que possam colocar em risco a segurança da população.

Alta das tarifas foi anunciada no final do ano

O aumento anunciado por Fernando Haddad (PT), prefeito da capital paulista, eleva a tarifa de ônibus para R$ 3,50, um reajuste de 16,67% em relação aos R$ 3,00 cobrados até então. O anúncio foi feito no dia 26 de dezembro, mesma data em que o governador do estado, Geraldo Alckmin (PSDB) sinalizou que as tarifas do metrô também sofreriam alterações, sem detalhar valores.

A preocupação dos policiais é grande, dada a grande dimensão da série de protestos iniciados pelo Movimento Passe Livre em junho de 2013, que se espalharam por todo o país. Na ocasião, os dois governantes aumentaram as tarifas para R$ 3,20 mas voltaram atrás diante da repercussão dos protestos.

Teatro Municipal será o ponto de concentração

Os manifestantes informaram, por meio das redes sociais, que a #Manifestação está marcada para as 17h no Teatro Municipal de São Paulo, nas imediações do Metrô Anhangabaú. Protestos estão sendo programados para várias cidades espalhadas pelo país, sempre com foco no combate à tarifa e seus aumentos. Na capital paulista, a Polícia Militar lamentou a ausência dos representantes do Movimento Passe Livre na reunião marcada para definir as diretrizes da ação policial no evento, já que não há uma informação do trajeto definido para a passeata. Um contingente de 800 oficiais será destacado para o evento, bem como os bombeiros, que também estarão de prontidão. Não está descartado o uso de balas de borracha pelos policiais.