Uma novidade foi divulgada hoje (27): as taxas extras das bandeiras tarifárias que são cobradas na conta de energia elétrica vão aumentar. O anúncio foi feito pela Annel (Agência Nacional de Energia Elétrica), em decorrência do aumento no custo de produção de energia elétrica no país, com isso, a conta de luz ficara mais cara a partir de segunda-feira (2).

Os novos valores já haviam sido propostos pela Aneel no início de fevereiro, contudo, apenas agora o aumento dos valores na conta de energia elétrica foi informado oficialmente.

As mudanças nas bandeiras foram:

Bandeira Vermelha:

Esta bandeira é que esta em vigor atualmente em todo o território brasileiro, ou seja, para produzir energia elétrica está sendo muito caro, o que significa que térmicas estão sendo utilizadas para suprir o consumo.

Publicidade
Publicidade

Então, nas contas de energia elétrica, uma taxa extra será cobrada, no valor de R$ 5,50 para cada 100 kWh de energia utilizada. O aumento é significativo, ou seja, representa 83,33% em relação ao que era cobrado entre janeiro e fevereiro, que era de R$ 3,00.

Bandeira Amarela

Quanto a bandeira amarela, esta significa que a produção de energia no país está um pouco mais cara, com isso, a taxa extra que era de R$ 1,50 passará para R$ 2,50, um aumento de 66,66% em relação ao que era cobrado entre janeiro e fevereiro.

Bandeira Verde

Nesta bandeira as condições favoráveis de geração de energia possibilitam que o consumidor não precise pagar mais caro pela produção, sinalizando que a tarifa não será aumentada. Não havendo custo adicional de energia elétrica, o consumidor não terá sua conta de luz mais cara.

Publicidade

A novidade do sistema de bandeiras tarifárias nas contas de luz iniciou em janeiro de 2015, passando a informar ao consumidor o custo da produção de energia no Brasil. Segundo a Aneel, o reajuste das taxas extras é trazer realismo em quanto se gasta para produzir energia elétrica no país.

Recursos adicionais que serão arrecadados com os reajustes serão utilizados para bancar a utilização de termelétricas, onde a produção de energia fica mais cara pela utilização de óleo e gás para mover as usinas. Além das termelétricas, os recursos adicionais também serão usados pelas distribuidoras, na compra de energia no mercado a vista, onde os valores também são bem elevados.

As distribuidoras são responsáveis pelo pagamento das faturas da energia elétrica, sendo os valores repassados para os clientes posteriormente, isso é possível por meio do reajuste das tarifas que acontece uma vez por ano. Contudo, as distribuidoras não estão com recursos suficientes em caixa para pagar a energia antecipadamente e depois repassar aos usuários, isso justifica o encarecimento da energia elétrica diante da atual crise hídrica que o país vive.

Publicidade

Contudo, a Aneel considera vantajosa essa arrecadação imediata que será realizada aos consumidores, que em casos normais, teriam que aguardar o reajuste. Caso as distribuidoras bancasse os juros extras no pagamento, os consumidores seriam obrigados a pagar muito mais juros.