Ações em alta

O dia é de esperança para o mercado financeiro. Após um comunicado oficial da #Petrobras anunciado na manhã dessa quarta feira(4), que relatou a renúncia de Graça Foster e mais 5 diretores, o mercado se animou e as ações da estatal voltaram a subir, depois de alguns dias de queda.

Credibilidade resgatada

Segundo especialistas, a razão para a alta das ações (que subiram 15% desde a emissão do comunicado), é a possibilidade da volta da credibilidade na empresa. Essa é a principal característica do mercado, as empresas precisam transparecer confiabilidade, por mais que sua imprensa seja forte, é necessário mostrar ao investidor sua lisura.

Publicidade
Publicidade

Como diz Roberto Teixeira da Costa, primeiro presidente da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e atual presidente da Câmara de Arbitragem do Mercado da BM&F Bovespa: "Quando este fator desaparece, não adianta você ficar buscando se houve ou não responsabilidades, se houve ou não participação ou interação com o processo que aconteceu. A perda da confiança é fatal para uma empresa, para um país e para uma pessoa", declarou.

Mas para afastar a crise da estatal, é necessário mais do que modificar a antiga diretoria. Segundo especialistas, o cerne do problema não está na atual diretoria que renunciou. A grande questão que precisa ser concluída é extinguir a corrupção. Essa seria a única solução para resgatar a confiabilidade da principal estatal brasileira. E para combatê-la é necessário cumprir as leis contra esse tipo de crime e acabar com a impunidade.

Publicidade

Segundo o economista Samy Dana, a saída de Graça não resolve todas as dificuldades, é preciso uma mudança estrutural: "Tirar qualquer pessoa que não atenda e satisfaça os acionistas é bom. Agora, não podemos ignorar que a Petrobras é uma empresa extremamente complexa de se administrar e que existem problemas enraizados na própria cultura da estatal". Nesse sentido, tirar a Graça Foster não acaba com os problemas, ela não é o mal da Petrobras."

Futuro da empresa

Por isso apesar do recente otimismo do Mercado, é preciso atenção para que a saída de Graça não impeça que a operação Lava Jato continue e cumpra a sua função de eliminar todos os resquícios de corrupção que estão entranhados na Petrobras. Pois como Ricardo Boechat já comprovou com uma reportagem ganhadora do prêmio Esso em 1989, a roubalheira na estatal é histórica e independe de partidos.