Os burburinhos sobre o aumento no valor das passagens de ônibus em Curitiba, fizeram com que no final da tarde de quinta-feira (5), os usuários do transporte público saíssem às ruas para protestar. Segundo a Polícia Militar (PM), pouco mais de 200 pessoas se reuniram na Boca Maldita e seguiram pelas ruas mais conhecidas do Centro. Com a ajuda da PM com o trânsito, o protesto foi pacífico, sem registros de vandalismo e violência. 

A tarifa com o novo valor entrou em vigor a meia noite de sexta-feira (6). O preço da passagem saiu de R$ 2,85  para R$ 3,15. O detalhe é que para quem paga em dinheiro a tarifa sai mais cara, sendo R$ 3,30.

Publicidade
Publicidade

A decisão incomodou os órgãos de defesa do consumidor, que junto com a prefeitura falaram sobre a polêmica. Sem afirmar nenhum acordo, o caso segue para a Justiça, e segundo a Prefeitura de Curitiba, se o valor reduzido para quem usa o cartão trasporte não for aprovado, a tarifa seguirá em R$ 3,30 para ambos os pagantes.

Enquanto não há acordo em relação ao valor diferenciado, os curitibanos enfrentam filas gigantescas para recarregar o cartão transporte e adquirirem o desconto. "É um absurdo isso, andar de ônibus quase não está mais valendo a pena, está ficando muito caro. Eu vou comprar um bicicleta." Indignou-se Danielli, usuária do transporte coletivo. Cerca de 2 milhões de curitibanos são usuários do transporte coletivo, e as tarifas abusivas tem revoltado o povo.

Nos domingos, a tarifa que já costuma ser mais barata, permanece no valor de R$ 1,50 e pode ser paga via cartão transporte.

Publicidade

Já a famosa linha Turismo sofre um reajuste de R$ 5,00, passando de R$ 30,00 para R$ 35,00.

Região Metropolitana

As tarifas para usuários da Região Metropolitana de Curitiba ainda não foram anunciadas. O presidente da Coordenação da RMC (Comec), Omar Akel, afirmou que uma vez que as tarifas sejam diferenciadas, os usuários irão desembolsar uma quantia para entrar em Curitiba e outra para sair.

Akel também diz que estão reformulando algumas linhas, fazendo com que o tempo de espera seja menor, mas que para isso acontecer é necessário que as tarifas sejam reformuladas.  #Governo #Manifestação