Qual é o brasileiro que não sonha em ver uma nação desenvolvida, e o país com a economia estável? Segundo analistas, o dólar em alta tem impacto inflacionário direto em todo o contexto econômico, na indústria, nas importações e na criação de novos empregos, entre outros.

Quando essa moeda tem seu valor elevado, todos os países em desenvolvimento sofrem alguns prejuízos, pois dependemos ainda muito dela, e a maioria das indústrias brasileiras precisam de matéria prima importada para fabricação de muitos produtos industrializados, além dos efeitos negativos para os investimentos de longo prazo.

Porém, existem algumas vantagens com a alta do dólar, aumento do consumo de produtos nacionais e maior procura por viagens para os estados brasileiros, melhorando assim o turismo interno.

Publicidade
Publicidade

O maior desafio é manter as finanças públicas equilibradas. Sabemos que quando se gasta mais do que se arrecada ocorre o desajuste fiscal, se eleva a carga dos tributos e a inflação sobe junto.

O problema do Brasil é estrutural, com um Produto Interno Bruto pífio não há crescimento, então surgem as dificuldades de conquistar investimentos externos e que fiquem no país. Diante desse cenário, faz-se necessário a população reorganizar suas finanças, evitando gastos internacionais com cartões de crédito, devido à alta do Imposto Sobre Operações Financeiras - IOF que está em 6,38, podendo subir a taxa de câmbio ainda mais, que é válida no valor do dia do vencimento da fatura.

Quem se lembra das décadas de oitenta e noventa, antes da criação do real, sabe o que significa inflação e dólar alto.

Publicidade

Quem viveu esse período lembra-se que foi um período difícil, quando o salário era engolido pela alta dos preços diariamente. E recorda-se também o desequilíbrio que isso trazia para a maioria das pessoas, principalmente dos assalariados.

O pior de tudo isso foi que houve um desabastecimento de muitos produtos que sumiram das prateleiras dos supermercados, e quando eles apareciam era com preços exorbitantes. Imagine, até o sal desapareceu de algumas regiões, foi horrível.

O #Governo queima as reservas para controlar o dólar, o problema é que gasta o pouco que tem, e no final quem é penalizado é o consumidor, que tem de diminuir sua lista de compras, deixando só os itens essenciais, piorando a qualidade de vida, e às vezes até sua alimentação.

Portanto, o carnaval passou, a festa terminou, agora é hora de cair na real, e ajustar as contas com o IPTU, IPVA e outros tributos que aumentaram muito.