Os números revelam que o índice de inadimplência dos brasileiros é o maior desde 2003. Muitos fatores contribuem para esse quadro, o aumento das taxas de juros, diminuição de empregos, IPVA, IPTU, reajustes do preço da gasolina, transporte público e outros.

Em resposta às pesquisas os brasileiros revelam que se pagarem as dívidas já vencidas, na atual situação deixam de ter o dinheiro para as necessidades básicas, obrigatórias e necessárias como comprar alimentos, pagar contas de água e luz.

Segundo dados do SERASA, se encontram no quadro entre os maiores indicadores da inadimplência dos brasileiros as dívidas de cartão de crédito, cartões de loja e financeiras.

Publicidade
Publicidade

Os preços dos alimentos quase que duplicaram e essa mudança já está sendo sentida nos bolsos da população brasileira, um fator que contribui fortemente para a inadimplência. Até mesmo os problemas climáticos contribuem pra essa alta nos preços dos alimentos, já que as grandes secas fazem cair a produtividade agrícola.

Para tentar fugir dessa lista de inadimplentes a dica é não fazer dívidas maiores do que o valor que se recebe mensalmente e deixar de lado o cartão de crédito. Para as dívidas já contraídas nos cartões, busque por acordos.

Pagar os boletos na data evita juros abusivos, para que consiga cumprir os vencimentos, toda a família deve ajudar, no caso dos casados. Evitar temporariamente saidinhas pode ajudar bastante no fim do mês.

Já para os solteiros, que gastam muito na rua e saídas de fim de semana, a dica para enfrentar esse período difícil é pensar duas vezes antes de comprar algo, uma roupa nova, sapatos ou algo supérfluo.

Publicidade

Pergunte a si mesmos: eu preciso comprar isso agora? Posso pagar a vista? Optar por pagar a vista abre espaço para negociações.

Não dá pra saber ao certo quando e se o país vai sair dessa #Crise, então evite desperdícios, cair na inadimplência só prejudica o consumidor que além de ficar sem crédito, na hora de pagar o saldo devedor terá que arcar com juros que fazem com que a dívida duplique. #Finança