Nesta quarta-feira (04), a presidente da #Petrobras renunciou ao seu cargo após uma longa trajetória em sua carreira. A mineira-carioca Graça Foster, com 61 anos, nunca esteve tanto na mídia quanto nos últimos meses. Principal alvo nos escândalos ocorridos em torno da #Crise da Petrobras, em diversos momentos foi solicitado pela população e pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que o #Governo Federal a demitisse, assim como toda a diretoria da instituição.

Entretanto, na ocasião, não foi acatado. Em 4 de fevereiro, em ação coletiva, a executiva e demais membros da diretoria entregaram os seus cargos, com exceção do diretor José Eduardo Dutra que foi contra e está afastado de suas funções por problemas de saúde.

Publicidade
Publicidade

Graça e sua trajetória empresarial

Graça Foster, formada em engenheira química em 1978 pela Universidade Federal Fluminense (UFF), foi a primeira mulher no comando da companhia. Iniciou suas atividades profissionais como estagiária da Petrobras no mesmo ano da sua formatura, com apoio do seu professor Egil Wagner Monteiro, devido à sua dedicação como estudante.

Estagiou também em outras empresas, com passagem pela Nuclebras antes de iniciar sua promissora carreira, em 1981, na Petrobras. Dezenove anos depois, conheceu a atual presidente do Brasil, Dilma Rousseff, no momento em que atuava como gerente da Transportadora Brasileira Gasoduto Bolívia-Brasil (Gasbol), empresa controlada pela Petrobras.

Quando Dilma assumiu o Ministério de Minas e Energia, em 2003, convidou Graça Foster para tocar o dia a dia da pasta e indicou a executiva para assumir a presidência da BR Distribuidora, 3 anos depois.

Publicidade

Numa gestão bastante rígida, segundo alguns, exerceu o cargo de Diretora de Gás e Energia.

Em 2008, Graça filiou-se ao PT e desde então tem estado ao lado da Dilma, apoiando sua campanha em 2010. Em 2012, foi indicada pela presidenta para assumir o comando da Petrobras.

Graça e sua vida pessoal

Maria das Graças Foster nasceu em Caratinga, MG, mas foi morar no Rio de Janeiro com 2 anos de idade e passou sua juventude na Ilha do Governador. Para ajudar sua mãe, que era extremamente pobre, exerceu o ofício de catadora de papel. Fez curso de teatro e desempenhava bem, recebendo bons papéis e contracenou, inclusive, com o ator Miguel Falabella.

Do seu primeiro casamento com Cleber, Graça teve apenas uma filha, Flávia, que é médica e deu-lhe a sua única neta (até o momento) de 16 anos, Priscilla. Flávia nasceu quando a ex-executiva ainda estava na faculdade e teve que adiar por um ano seus planos de formatura. Graça é casada atualmente com o empresário Colin Foster, com quem teve um filho, Colin, jornalista de 29 anos.

A alta executiva - que sempre adaptou sua vida pessoal à companhia - sai de cena, pelo menos do comando da empresa. Resta saber quais são seus planos de vida. Será que vai aposentar? Permanecerá no Brasil? Agora nos resta acompanhar.