Ao que tudo indica a vida de Eike Batista está mudando, e não é para melhor! A Polícia Federal fechou o cerco, e como forma de ressarcimento pela falência de empresas do Grupo X, foram apreendidos cerca de 127 mil reais em espécie, além de 16 relógios e um computador, que estavam em posse do empresário. A Operação foi realizada na residência de Eike Batista, no Jardim Botânico, Zona Sul do Rio de Janeiro.

Eike Batista também possuía certos objetos um tanto excêntricos, mas de valores consideráveis, como um ovo Fabergé, que é uma joia usada para esconder miniaturas, além um motor de lancha, piano e uma escultura.

Eike Batista responde na Justiça do Rio de Janeiro por diversos crimes, entre eles: falsidade ideológica, formação de quadrilha, manipulação de mercado, indutor de investigadores ao erro, além do uso de informações privilegiadas para se beneficiar.

Publicidade
Publicidade

Outra grande acusação imputada a Eike Batista é a de lavagem de dinheiro, tendo escondido parte do seu patrimônio, utilizando plataformas offshore como supostas “laranjas”.

O bloqueio de bens de Eike Batista já se arrasta desde 2014, quando no começo do ano foram bloqueados cerca de 122 milhões de reais. Contudo, em setembro do mesmo ano, outros 117 milhões também tiveram seu bloqueio decretado.

Desta vez a Justiça estendeu a medida a Eike e seus familiares, incluindo sua ex-mulher, Luma de Oliveira, assim como sua atual esposa, Flávia Sampaio. Os filhos também entraram na malha da justiça, Thor e Olin Batista, garantindo que qualquer imóvel, veículos ou dinheiro tenham sido repassados a terceiro ilegalmente, o que garantiria a Eike proteção de parte do seu patrimônio. O valor de bens bloqueados alcança a soma de 3 bilhões.

Publicidade

Na casa do empresário uma Lamborghini e um Porsche também foram apreendidos e serão destinados a um leilão, para que seja feito o ressarcimento das perdas causadas por Eike a Empresas do Grupo X.

Uma ordem judicial foi emitida aos cartórios de registro de imóveis, que ficaram avisados de quaisquer tentativas de negociação para posterior venda de imóveis do empresário e seus afins, tornando judicialmente ilegal qualquer tipo de transação que beneficie Eike. #Negócios #Corrupção